Luanda - ALGUNS MOTIVOS: 1. Todo um concurso exige que tenha mais de um concorrente para obtenção do referido prêmio, no entanto, à província da Huila e o seu Governador LUÍS NUNES, um dos governadores bem mais citado nas redes sociais em função do seu desempenho, para mim, são os dois maiores e potenciais concorrentes.

Fonte: Club-k.net

2. A ser assim, à província da Huila é daquelas que mesmo com uma governação medíocre como a que se verificou no tempo do seu antecessor, o partido na situação, o qual ambos concorrentes são militantes, tem ganho as eleições gerais naquela província folgadamente. Isto deve-se pelas seguintes razões: a). Por um lado, os líderes dos partidos políticos na oposição que lá se encontram não são carismáticos e nem eloquentes ao ponto de não conseguirem fazer oposição em altura e disso resulta fraca identificação dos munícipes até mesmo dos seus próprios militantes, fazendo-os optarem por eleger o partido no poder, porque não se revendo neles, consequentemente pouco importa os seus programas eleitorais. Ou por outro lado, b). Parece haver incongruência por parte das pessoas que habitam aquele território porque pelas manifestações e greves que se verificam durante os anos, indicadores que levam a mudança, no final os resultados eleitorais deveriam ser antagônicos, pois, continuam a ser o mesmo (5 - 0), pelo que, concluí-se que não há uma verdadeira consciência crítica na província da Huila comparativamente à província de Luanda, não por ser a capital do país, mas, aquela onde há à nível nacional, maior pressão da sociedade cívil sobre a forma como tem sido gerido a coisa pública. Por último, c). Levanta-se a hipótese de haver fraude nos resultados eleitorais. Pelo menos em Luanda, durante os dois últimos pleitos eleitorais (2012 e 2017) o partido têm encontrado inúmeras dificuldades para vencer as eleições como tem ocorrido na província da Huila.


3. A província da Huila é de longe "mais fácil" de se governar em relação a província de Luanda onde se encontram as maiores e relevantes instituições públicas (desde os órgãos de soberania às instituições da sociedade cívil, partidos políticos, igrejas, ong's etc...) assim como também a pessoa do Chefe do Poder Executivo, a quem devem e prestam contas, não obstante, também é em Luanda onde as maiores intrigas e conspirações políticas são fomentadas dado as constantes lutas de poder, normal da atividade política. Portanto, como se tem dito na gíria, Luanda "é onde tudo e mais alguma coisa" que tem levado a exoneração dos governantes acontecem, cidade altamente violênta, complexa e complicada, difícil de se governar, pelo ambiente político criado desde 75 aos nossos dias e tudo mais que se sabe, onde o jovem, LUTHER RESCOVA, inteligente e prudentemente, tem sabido dirigir e se distinguir dos seus antecessores, o que é visível por todos nós, assim como também, acontece com o governador da província da Huila. De qualquer modo, há uma outra nota positiva para este jovem, tal como ensina a Ciência Política, conseguiu criar o seu "staff de governação" jovem (desde a sua gestão no Comité Nacional da JMPLA) e é com esses mesmos, nomeando-os para o cargo de administradores municipais que têm dado a sua contribuição para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos de Luanda (o que muitos não conseguiram fazer). São alguns motivos que me fazem acreditar vivamente e dizer que este é o "GOVERNADOR DO ANO".

 

4. Todo o resto, em artigo de opinião, após o término dos dois mandatos, quer a nível dos governos provinciais e das lideranças partidárias (Rescova e Nunes).

ENTREGUEM O PRÊMIO DE GOVERNADOR DO ANO ao Jovem pfvr.

"Viva Angola - viva à juventude angolana".

 

Amilton da Gama

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: