Luanda - Só os absolutamente desumanos, quiçá, cegos por opção, ou desprovidos de qualquer sorte de análise, dirão ou afirmarão não existir perseguição, caça – as – bruxas ou qualquer forma de humilhação à José Eduardo dos Santos e sua clã. Desde o ano de 2017 em Outubro, afirmei em variados artigos de opinião de que João Lourenço vingar – se – ia tão breve de José Eduardo dos Santos e sua clã. Muito antes de ter chegado à Presidência da República, escrevi ao CC do MPLA pedindo em audiência ao Eng. JES Presidente vigente na altura, de que eu (João Hungulo), gostava de me dirigir solenemente, respeitosamente à essa tão emblemática figura nacional, em gesto físico de diálogo, como se diz em francês (être face à face avec quelqu”un).

Fonte: Club-k.net

Na verdade, a minha audiência ao Excelentíssimo Senhor ex – Presidente Eng. José Eduardo dos Santos tinha como intento contar – lhe dos ecos que aterrorizavam as redes sociais em Angola, na boca de pessoas particulares, ouvia – se, ainda em 2016, de que próximos de João Lourenço, diziam que o candidato está furioso, não recebeu apoio algum do Presidente do Partido para as campanhas eleitorais, teve de pedir a Manuel Vicente cerca de 150 milhões de dólares para campanhas eleitorais porque a máquina não deu – lhe tal dinheiro, desde logo, o homem ficou furioso, e prometeu que logo que chegar à presidência pagará com a mesma moeda, tudo quanto lhe foi feito. Embora meras especulações de próximos de João Lourenço, é líquido concluirmos, que aquelas especulações falaciosas que soltavam – se da boca dos seus próximos são reais, não são especulações, e que muitos nas redes sociais em 2016, tinham razão de afirmar que haveria vingança e caça – as – bruxas em Angola, logo que João Lourenço chegasse ao poder em Angola.

Nas redes sociais, desde o início da campanha eleitoral de JLO em 2016, só se apregoava uma intenção oculta na boca de pessoas particulares e próximas à esta figura, de que haveria perseguir e humilhação à JES e sua clã, porque na pessoa de JLO tratavas-se de ser JES e sua família os responsáveis pela crise e todo tipo de drama que se vive em Angola. Quando me dirigi ao CC do MPLA, solicitando em audiência em 2017 ao Cda ex - PR do MPLA Eng. JES, não fui achada, nem sequer encontrado. A minha carta, pelos vistos, nem sequer chegou ao gabinete do Eng. JES, todavia, a minha carta foi sepultada neste ano (2017) na terra do exílio e do esquecimento, para jamais ser lembrada.

Como afirmei antes da chegada do Candidato do MPLA ao poder (JLO) em 2016 (a saída de JES causaria graves alterações no panorama angolano, tornando o País, numa vítima dispersa, despida de qualquer forma de liberdade e de paz), vide artigo de opinião “in club k” (impacto da saída de JES do poder o ícone do panafricanismo, Setembro de 2016).

O que hoje se passa entre nós, foi planificado por JLO antes de ter atingido o poder, e, esse reflexo, é a exteriorização profunda de tudo quanto foi pensado em 2016 pelo candidato, antes de ter atingido o poder: “são eles que estragaram esse País, e vão pagar por tudo que fizeram, deixa estar, hoje não querem me ajudar nas campanhas do Partido (MPLA) só porque eu sou o candidato, no fundo eles não me querem mais.” Somente cegos completamente perdidos no abismo infindável acham existir qualquer forma de justiça à ser imposta pelo actual Presidente da República, e nós, em 2016, já sabíamos à cor da letra de que haveria caça – as – bruxas, e vingança contra a pessoa do ex – Presidente JES, é pena que fomos ignorados com bastante sucesso, quando assim afirmamos, em artigos de opinião em 2016, para muitos era mais um “Fake New” como é de hábito dizer, e, hoje a verdade tem rosto e surpreende à todos.

A história de nossa nação, foi marcada por intensos sacrifícios, foi, aliás, necessárias realizações inéditas que clamavam por uma liberdade plenamente patente. A guerra é uma marca trágica insuportável para toda a humanidade. Porém, mesmo que ela trouxe algum proveito em gesto de liberdade do povo angolano, deixou – a contagiada com memórias profundas de seu trilho alindado com o faro de um açoite e de um sofrimento que nem mesmo o tempo ou as circunstâncias fazem – se por esquecidos. A ânsia de erigir um destino à luz da paz, foi paga com sangue, mártir e suor de nossos irmãos, e aqui, dos Santos, é símbolos da marca da paz em Angola e de toda estabilidade geopolítica que se vive em África Austral. Ninguém, seja quem seja, nos pode tirar mais, a paz que herdamos dos esforços do Eng. JES. Precisamos com este compromisso de pessoas que declaram – se em paz, enaltecer figuras que derramaram o seu sangue e fizeram do 4 de Abril num feriado nacional, sem JES a paz em Angola estaria muito longe de ser efectiva. Em troca de suas vidas, muitos angolanos, traçaram o destino que hoje Angola vive, os seus exemplos de sacrifício, firmeza e coragem devem ser exuberados por nós em prol de um país continuamente realizado.

 

Não é justo, o que hoje JLO, na posição de Presidente da República e do MPLA, faz com o ex – Presidente do MPLA, ao invés de reconciliar o MPLA, transforma esse acto numa verdadeira inversão de carácter. O que o MPLA hoje carece, é de um acto de reconciliação que consiga reabilitar a imagem de JES, porém, tal acto, tomou o peso da evidência contrária. JLo na posição de Presidente do MPLA e da República faz ao clã de Eduardo dos Santos num alvo à abater. Ofusca o papel heróico de JES, o homem que definiu o início de um processo de paz, ainda em épocas impossíveis e rudimentar, papel esse desempenhado, o constitui em herói vivo, homem imortal, que até cegos e surdos sabem em de cor o sacrifício porque lutou, e, a causa que tanto se agarrou em defender. Os exemplos de coragem e sacrifício de Eduardo dos Santos andam de mãos dadas aos exemplos de figuras deslumbrantes e inesquecíveis nos catálogos históricos que definem uma vida que também é nossa, o papel desempenhado por Agostinho Neto, Savimbi, Holden Roberto, Rainha Njinga, Ekuikui, Katiavala Buila, Ndunduma, Mandume, Muto ya Kevela, Ngola Nissari, e, outros heróis, que com canhangulos e flexas se serviam em resistência face à invasão implacável do regime colonial.


Hoje, sentimos os efeitos provindo de uma guerra implacável contra a figura de Eduardo dos Santos e sua clã. Pensando – se que fazendo a guerra à Eduardo dos Santos e destruindo sua clã, as lacunas deixadas pela má gerência do País, observada na miséria, que assombra muitos de nossos irmãos, irá derreter ou acabar de uma vez por todas. Mas isso, nunca foi verdade, e jamais será verdade. Os desejos de JLO em acabar com a hegemonia económica da família dos Santos, não irá dar luz ao País que vive amarrado numa crise infindável, irá dar fim ao MPLA, é pena que JLO está apenas obcecado em dar fim ao clã dos Santos, não lhe interessando o destino do MPLA. Isso nos leva a concluir que, a prática da vingança e caça – as – bruxas irá edificar no subsolo económico angolano raízes bastante profundas, acabando por deteriorar a nação angolana com problemas de desemprego grotesco, ainda assim, o MPLA desenhará um sucesso míope, porque destruindo o clã dos Santos, abrem – se portas para o fim do MPLA. Não há dignidade que se expressa no desemprego e na miséria, porém, é nisto que o Governo angolano quer investir, piorar o índice do desemprego, piorar a qualidade de vida, piorar o desenvolvimento sócio – económico, aumentar a miséria dos angolanos.

 

Não queremos que o nosso destino seja refém da raiva de João Lourenço contra a família dos Santos, e que nós povo, nos transformemos em capim onde dois elefantes se machucam de forma violenta. O povo (sofredor nato) quer a paz, comida, socego e tranquilidade, está menos interessado na guerra de Jlo contra a família dos Santos.

 

As guerras explícitas e implícitas que foram mantidas por interesses externos e sempre estrangeiro, nos deixaram o saldo da morte no corpo, e, o pior, na alma que chora implacavelmente como enxergas de farrapos perdidos num ermo vazio, e não queremos que essa guerra imposta por JLO contra JES faça o mesmo ao povo como a guerra de 1975 que somente findou em 2002. Ainda assim, a falta de esperança por um amanhã risonho, vive no olhar de multidões, e hoje, a permanência desta vingança implacável, desta perseguição à família dos Santos, tornou o País vítima de uma crise sem soluções, porque o Presidente deste País, está obcecado em perseguir JES e sua clã, enquanto isso Angola padece de soluções aos variados problemas que infiltraram – se na nação angolana. JLO dedica todo seu tempo em pensar como destruir o clã dos Santos e apagar na história a figura de JES.

 

É preciso, que as Nações Unidas, proíbam com força imperativa a vingança e caça – as – bruxas imposta por JLO contra JES e os eduardistas, desde que esse chegou ao poder. A guerra psicológica imposta por JLO contra os eduardistas deixará na pessoa de próximos à Eduardo dos Santos marcas que nem o tempo, nem a felicidade transbordante ultrapassam.


A tragédia da perseguição a JES e ao clã dos Santos, obrigou – os a um exílio forçado à Europa, e, as suas consequências, os seus efeitos, perdurarão longos anos em suas vidas. Pode – se afirmar que o clã dos Santos vive os seus piores momentos desde que este surgiu na face da terra.

De nada vale pensarmos no ódio, na vingança, ou no ressentimento, porque somente estratégias podem dar respostas às questões evidentes da crise que se vive em Angola; neste âmbito, é pertinente que JLO traça um rumo para o amanhã dos angolanos, em vez de preocupar – se de forma imperativa em guerrear o clã dos Santos.


Se ontem o País se libertou de todas as formas de catástrofes sociais, hoje, o País precisa se libertar das perseguições, da vingança, do caça – as – bruxas, precisamos mudar de atitude, precisamos fazer renascer o angolano no Angolano por uma Angola moderna e diferente em todos os domínios. Precisamos reconciliar os angolanos num verdadeiro sentido de reconciliação, e nunca numa forma parcial de reconciliação.

 

BEM – HAJA!

 

Loading...

Loading...



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: