Luanda - Um dos casos mortais mais badalados nas festas de final de ano no País, foi o da jovem estudante Érica Patricia Chambula Basílio, de 20 anos de idade, assassinada de madrugada durante uma festa de réveillon na Ilha do Mussulo, em Luanda.

Fonte: JA

Fontes policiais afirmam que o assassinato ocorreu por volta das quatro horas da manhã do primeiro dia do ano novo, no bairro Cambaxi, zona da Bóia Amarela, no exterior de uma festa. A vítima teria ido à casa de banho na companhia de uma amiga, e por falta de condições optaram por fazer as necessidades num recinto ao lado, quando foram interceptadas por elementos masculinos, que tentaram estuprá-las. A amiga conseguiu fugir e pedir socorro na festa e quando regressou ao local na companhia de mais pessoas, encontraram Érica Basílio a esvair-se em sangue por ter sido golpeada com arma branca ao resistir à violação do bando assassino, a quem teria arremessado algumas pedras.

 

Érica Basílio ainda foi transportada a clínica Girassol, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos na região torácica., tendo falecido mesmo antes de chegar à unidade hospitalar.


Cinco suspeitos, com idades entre 23 e 25 anos, encontram-se detidos, nomeadamente "Vivi", "Peter", "Chulo", "Kikito" e "Zé Kalanga" como são conhecidos.


Érica Basílio vivia na Inglaterra onde cursava engenharia, sendo uma das melhores alunas da sua formação. Veio a Angola gozar a quadra festiva na companhia dos familiares, tendo escolhido um baile na ilha do Mussulo para a noite de passagem de ano, acabando por sucumbir neste ignóbil acto de mais um caso de violência contra a mulher. Antes de ir para a festa, Érica ainda fez uma selfie com a sua mãe, Júlia, momentos após a transição de ano, cujas fotos correm nas redes sociais. Devia regressar hoje para continuar os seus estudos no Reino Unido da Grã-Bretanha.


A outra vítima reportada no final de ano, cujo nome não foi revelado, morreu nas mesmas circunstâncias, no bairro Campo de Aviação, no município de Malanje.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: