Luanda - A Casa de Segurança do Presidente da República esclareceu, neste sábado, que o Hospital Pedro Maria Tonha "Pedalé" deverá prestar assistência médica a todos os angolanos necessitados, não sendo, por isso, exclusivo para os principais dirigentes do Estado.

Fonte: Angop

Em nota, o órgão considera falsas as informações que denunciam a aparente limitação dos serviços da futura unidade hospitalar a dirigentes, sublinhando que a mesma vai ajudar a reduzir os custos com evacuações e formação especializada no exterior do país.

 

Segundo o comunicado, trata-se, na realidade, de um instituto público que visa prestar assistência médica e cirúrgica altamente diferenciada ao público, bem como avaliação e tratamento dos casos clínicos remetidos pela Junta Nacional de Saúde e pela Junta Médica Militar.

 

De igual modo, especifica, a unidade irá promover cursos de formação graduada, pós-graduada e contínua, além da investigação médica e biomédica.

 

Exercerá a função de hospital de referência nacional, como retaguarda assistencial aos demais hospitais para doentes com critério de evacuação médica para o exterior do país.

 

Noutro domínio, a Casa de Segurança do Presidente da República clarifica que a obra do hospital começou em 2012, tendo paralisado anos depois, por dificuldades financeiras.

 

Em 2018, depois de uma visita do Presidente da República, para constatar o estado avançado da obra, orientou-se o seu reinício, após cumpridas as formalidades legais: a submissão dos respectivos contratos ao Tribunal de Contas e a correspondente cabimentação financeira.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: