Luanda – Existe um império empresarial que não é conhecido de forma aberta aos olhos do público mas que atua no mercado angolano e internacional, que é representado pelo actual general na reforma, Leopoldino do Nascimento conhecido por “Dino”, que com o fim da guerra, em 2002 acabou entrando para a classe de multimilionário, não só pelos valores financeiros que terá acumulado mas também pelo património imobiliário.

Fonte: Club-k.net

O universo empresarial que é fundido no grupo Cochan é um outro cogumelo de empresas submersas cuja fonte destas propriedades é a Sonangol embora ter andado ao longo de algum período escondido nas asas de uma galinha que nunca deu ovos sendo a única galinha a Sonangol, representada em algumas províncias do país, como Luanda, Benguela, Huambo, Lubango, nas áreas do comercio construção e obras publicas, telecomunicações e prestação de serviços.


As empresas representadas pela holding Cochan são varias porém, citamos apenas algumas como  a Geni, Unitel, DT, participações no Kero, Pumangol, transfigura, Somague, Mota Engil, Soares da Costa, Edifícios Kinaxixi, Macon, Transfuel, Media Nova (Radio Mais, TV Zimbo, O Pais).


O general na reforma Leopoldino do Nascimento não é nenhum génio empresarial nem que tenha herdado do seu progenitor a riqueza que ostenta. O momento actual impõe clarificações não se pode criar uma falsa espectativa de que sejam donos de isso tudo, atirando área aos olhos do cidadão honesto e que conhece muito bem a origem desta fortuna que foi sempre a Sonangol.

Todo universo empresarial construído por fundos do Estado a ele  deve reverter-se como pessoa colectiva e não defendermos uma propriedade privada que nunca existiu mas sim existiu a propriedade do Estado controlada  por alguns indivíduos que muito recentemente foram adjetivados como Marimbondo.


É preciso que se ganhe coincidência que as autoridades judiciais não baixem a guarda, é preciso que os drones da PGR e dos tribunais sejam acionados para que se deia o que é de Cesar e seja restituído ao que a Deus pertence; nesta luta contra a corrupção que já tem um vencedor que é o povo angolano dono legitimo de todo o património construído com os fundos que a este pertence.


Quem é o general reformado Leopoldino do Nascimento antigo oficial das FAPLA que transitou para as FAA com o grau militar de tenente coronel, formado em telecomunicações Bulgária, e exercendo funções nas FAA de chefe adjunto de telecomunicações do comando de exercito ?  Sabe se que  em  1997,  foi  transferido para o  "futungo de Belas" para as comunicações fixas do Presidente da República, em substituição do então coronel Gilberto Veríssimo da Costa.


Que não haja duvidas que esta riqueza que é exibida como trofeu aos olhos de toda gente é algo adquirido como trofeu dentro do palácio, onde se definiu a estratégia da acumulação primitiva das riquezas de Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: