Lisboa - A empresária angolana realçou que o “risco é o elevado nível de pagamentos de dívida e a forte dependência das receitas petrolíferas”.

Fonte: Jornal Economico

Isabel dos Santos partilhou no Twitter a notícia de que a consultora Economist Intelligence Unit (EIU) alertou, no seguimento da terceira tranche de apoio do FMI, que Angola pode entrar em incumprimento financeiro devido ao elevado nível de pagamentos de dívida e à forte dependência das receitas petrolíferas.


A empresária angolana realçou que o “risco é o elevado nível de pagamentos de dívida e a forte dependência das receitas petrolíferas”.

 

“Depois de Angola não ter conseguido cumprir várias das metas do Programa de Financiamento Ampliado (PFI) do Fundo Monetário Internacional (FMI), o Fundo concordou com novos objetivos; nós salientamos que o nível de pagamentos de dívida é elevado, e assim sendo, o risco de Angola entrar em incumprimento financeiro [‘default’, no original em inglês] é elevado, devido à forte dependência de receitas do petróleo”, diz a EIU.

 

Numa nota de comentário à aprovação do terceiro desembolso pelo FMI ao abrigo do programa de assistência financeira, em dezembro de 2019, no valor de quase 250 milhões de dólares, cerca de 221 milhões de euros, os peritos da unidade de análise económica da revista britânica The Economist escrevem que “o calendário foi alterado e novas metas foram definidas, destinadas a apoiar a consolidação e a transparência, e para apoiar a reestruturação do setor financeiro”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: