Luanda - Não tenho por hábito responder à publicações ou comentários em que sou citado, por entender que todos têm liberdade de expressar e de se exprimirem avaliando cada um como entenderem necessário. Hoje de manhã (06.01.2020) recebi de dois amigos (i) link de uma noticia e (ii) extractos de uma conversa onde em resumo uma tal “Isabel dos Santos” diz de mim (Benja Satula) o seguinte: «esse é vendido, prostituição intelectual é uma mediocridade! Um Incompetente! É um gatuno, levou o dinheiro e não fez o trabalho. Um incompetente» e á pergunta do seu interlocutor sobre quanto é que ele cobrou respondeu: «estava a pedir 9 milhões».

Fonte: Club-k.net

Como achei interessante esta síntese do meu Curriculum, venho síntese dizer-lhe e dizer-vos (a todos os outros que em surdina pretendem confundir-me) seguinte:

1. É verdade que sou “vendido”:


- Vendi-me quando mensageiros de um certo Presidente da República e seu séquito enviaram capangas a falar com a minha esposa para em troca de 3 milhões de Dólares, em 2015, eu me calasse e fosse trabalhar com eles, cum cargo no Governo e com uma casa no Talatona, perguntem aos capangas do pai que para tanto queriam que assinasse um contrato com eles a este preço;


- Vendi-me quando em 2012 e 2013 assessorando a minha esposa que participava numa estrutura societária, defendemos com toda a garra um património de avaliado em 300 milhões de dólares, 100 milhões dos quais em contas bancárias detidas pela minha esposa e que perseguida, por gente também do Palácio Presidencial que me queriam corromper oferecendo-me dois milhões de dólares dos dez milhões que eles diziam pertencer-lhes, quando descobrimos que o beneficiário efectivo era na verdade o dono do Palácio Presidencial, devolveu tudo e como gratificação queriam dar-lhe 300 mil dólares e nós agradecemos e rejeitamos um tostão que fosse! Basta perguntar aos servidores dos pais (ao General, ao Porta-voz, ao Chefe do Protocolo ou ao Embaixador que reside fora de Angola faz tempo e que esteve nas duas reuniões tripartida (a minha esposa, o dono do Palácio e o embaixador);


- Vendi-me quando o Embaixador e o Dono do Palácio convidaram-me por esta ocasião a trabalhar para eles e rejeitamos (a minha esposa e eu)…enfim, vê-se logo como estou vendido faz muito tempo.


2. Sou um medíocre e detentor de prostituição intelectual:

- Claramente sou um medíocre. A minha mediocridade pode ser atestada faz tempo e é visível: desde as longas horas de caminhadas na recta da paciência em ida e volta para a Comandante Kwenha… com as horas de biblioteca e depois partilhas e estudos conjuntos com colegas. Estendendo a mão para podermos ter uma refeição decente na Universidade (partilhando um pacote de bolos secos e um refrigerante pelo número de pessoas presentes, nunca menos de três). A única ambição de cortar a mediocridade e “prostituir-me intelectualmente…”.


- A prostituição intelectual e INCOMPETÊNCIA ficam bem patente é só perguntar aos Juízes, procuradores e advogados com quem litiguei e as famílias de pessoas honestas marcadas para “abater” pelo sistema de então (comandados por alguns servidores palacianos) é que tive de ler e reler doutrinas e decisões do passado para encontrar fundamentos científicos, para sanar a minha incompetência, e oferecer melhor defesa a estes cidadãos, perguntem as suas respectivas famílias e dir-vos-ão da minha prostituição “intelectual, incompetência e mediocridade”;


- Fale com os jovens, jovens estudantes e desejosos de mudança, para perceber com que incompetência e prostituição intelectual critiquei o sistema de justiça no processo dos 15 + 2 e sem conhecer ninguém e sem ser advogado constituído mantive a minha posição mesmo com emissários e intelectuais enviados pelo sistema de então para tentarem salvar aquela injusta decisão…

- A incompetência está bem patente nas obras e artigos científicos publicados…

3. Gatuno:


- Esta carapuça serviu-me perfeitamente, pois sem roubar ao povo, um tostão sequer, não servi nenhum colaborador do “sistema”, sem michas e sem favores, passo a vida a roubar o coração da minha amada esposa, roubar tempo que devia servir para estar com os meus e dar-lhes tempo de qualidade, roubar precioso tempo aos meus familiares, amigos…sou sim um gatuno….


- Felizmente não gostaria de ser gatuno como uns que fizeram festim a custa do povo e do erário público, ou de migalhas que sobejavam dos referidos banquetes, mas honestamente não consigo. Não ando perturbado com grandezas, durmo e acordo todos os dias rezando para não fazer mal a ninguém…pois já me basta ser gatuno do tempo dos meus…


- Só que agora fiquei na dúvida se também sou gatuno é quem trabalha e não recebe ou quem diz que pagou 9 milhões quando não pagou um tostão? Que nome recebe quem diz que pagou 9 milhões de dólares, quando este valor nunca foi cobrado e qualquer outro nunca foi pago?


Por isso, quero aqui dizer que estou imensamente feliz, como cristão que sou, trago sempre comigo os ensinamentos do Sermão da Montanha (Mateus 5 1-12): Bem-aventurados sereis, quando, por minha causa, vos insultarem, vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós. Alegrai-vos e exultai, porque é grande nos Céus a vossa recompensa. Pois assim perseguiram os profetas antes de vós.


Vivo e esforço-me por agradar apenas a Deus a quem servo, não sou honesto, nem santo, mas faço o mesmo esforço todos os dias. Reitero o mesmo que disse na minha primeira publicação de 2020: «hoje por hoje, há claramente falta de humildade. E chega até a ser ridículo que alguém que sendo filho ou próximo do ciclo dos que mandavam, venha dizer que «não se beneficiou ou nunca fora favorecido em negócios». É importante não subestimar a inteligência alheia. …Entretanto ninguém se deve alegrar com a «desgraça alheia» nem se vangloriar com a «sorte» dos outros e que qualquer decisão a ser tomada no futuro deve sempre evitar destruir ou perturbar investimentos que já existentes. Não estou para agradar ninguém, digo o que penso e sinto independentemente do efeito sobre cada um.
Um abraço e um Beijo no coração do “Gatuno medíocre”!

Benja Satula

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: