Luanda - Carta Aberta a Vossa Excelência Presidente da República de Angola João Lourenço, Apelo ao fim da Vasectomia aos Angolanos.

Fonte; Club-k.net

Vossa excelência Senhor Presidente, venho por este intermédio Parabenizar-lhe pela maneira como tem conduzido os destinos da Nação, principalmente em colocar no coração dos Angolanos a Esperança de um amanhã melhor e ter a coragem de dirigir Angola num momento muito difícil, com o projecto da luta contra a corrupção e contra a desordem nas instituições públicas e não só. Angola, Vossa Excelência Sr. Presidente vive momentos de Esperança e nós apoiamos o seu trabalho e vamos contribuir com o nosso saber para que o nosso País seja visto no contexto das Nações como uma nação onde existe Ordem e também responsabilidades.



1- Vossa excelência Senhor Presidente através desta carta aberta solicito respeitosamente sua intervenção, para colocar um fim à esterilização em massa de centenas de jovens Angolanos, impossibilitando-os de terem o direito básico e humano de terem filhos e constituírem família na sua própria terra. Sem no mínimo terem a possibilidade de recorrerem às autoridades policiais ou jurídicas, com medo de sofrerem represálias e diversos tipos de punição ou acções disciplinares.


2- Vossa Excelência eu fiz parte do clero da igreja universal, fiz parte de um pequeno grupo dos primeiros obreiros desta mesma instituição, conhecemos ela por dentro e por fora. Lamentavelmente fomos pressionados para fazer a Esterilização na África do Sul, não se tratava de sugestão, mais de uma ordem superior da liderança máxima da Organização. E que depois de feito a vasectomia - estava consumado a alegria no rosto dos líderes estrangeiros que governam ou governaram a igreja, Mas no mais profundo da alma dos Jovens Angolanos Pastores e pastores auxiliares, começava o mais difícil martírio de nunca mais poder ter um filho ou uma filha nos seus braços, e a condenação mental e espiritual de haver obedecido uma lei incontestável por um lado e por outro lado começava a tortura destes jovens pastores e esposas de ser um eunuco forçado. A igreja tem violado a Declaração Universal dos Direitos Humanos de um ser poder ter a consciência tranquila de ter filhos sem pressão de nenhuma índole.

3- Vossa excelência Senhor Presidente dia 28 de Dezembro de 2019 completamos um mês desde que o colectivo de obreiros, pastores e Bispos Angolanos onde consta o Bispo Valente e outros pastores patriotas cansados com os abusos de poder contra a nação Angolana contra a vida e integridade dos mesmos fizeram a entrega a PGR de um manifesto onde consta as reivindicações e o relato de várias acções criminosas contra a soberania da nação Angolana, dentre eles: A urgente cessação da Vasectomia. Que podemos considerar como um acto de Genocídio contra a família Angolana, contra estabilidade e a felicidade das famílias. Acto de Genocídio condenável e contra a violação dos direitos humanos. Impossibilitando as mulheres dos pastores de poderem procriar e deixarem um legado para o porvir.


4- Vossa excelência Senhor Presidente este direito básico e elementar tem sido violado constantemente, deixando a família Angolana, com marcas, mazelas e problemas psicológicos de vária índole. Senhor Presidente, Martin Luther King, Jr., quando defendia os direitos das pessoas de cor nos Estados Unidos durante a década de 1960, declarou: “Uma injustiça em qualquer lugar é uma ameaça para a justiça em todo o lugar.” E também, Thomas Jefferson, a fonte de inspiração e autor da Declaração da Independência Americana, declarou que “Devemos ter muito cuidado com a vida humana e sua felicidade, e não a destruição dela, pois este é o primeiro e único objectivo da boa governação.”


5- Vossa excelência Senhor Presidente, Será que existe algum plano secreto desta organização ou igreja de exterminar e destruir a família Angolana com estas práticas de Esterilização (vasectomica) em massa de jovens Angolanos, será que eles querem exterminar com a sequência, a continuação e a procriação da família Angolana, perguntamos.


6- Vossa Excelência Senhor Presidente, existem diversos casos sobre esta matéria nos órgãos judiciais referente a esta situação da esterilização massiva, que já é de domínio público, e que os tribunais em várias instâncias exigem e têm exigido o pagamento de caução e até indemnização a muitos ex-pastores desta organização.


Para terminar Vossa excelência Senhor Presidente pedimos que use das suas prerrogativas de acordo a constituição vigente na República de Angola para terminar com esta prática de Genocídio em massa contra a Juventude Angolana, contra os pastores Bispos e membros do clero desta organização/Instituição. Que a sociedade civil organizações não governamentais, organismos internacionais, estejam mobilizados para em conjunto terminar com este genocídio de pacatos cidadãos que têm sido submetidos a estas práticas.

7- Esperamos de Vossa Excelência Senhor Presidente e dos membros do executivo os melhores ofícios para que a alegria de um jovem pastor e uma jovem Angolana esposa, possa ter o direito humano de poder conceber com liberdade, e com humanismo dentro ou fora do seu próprio País. Vossa Excelência Senhor Presidente da República, General João Manuel Gonçalves Lourenço, esperamos que esta carta aberta seja também um chamado para a conscientização da sociedade civil. Queira Vossa Excelência aceitar os meus melhores comprimentos de Alta e Elevadíssima consideração.

Benny Pinheiro
Ex-Membro do clero, Oficial Militar na Reserva.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: