Luanda - A Direção Política do Movimento Independentista de Cabinda (MIC), vem por intermédio deste, dar a conhecer a sua posição tanto ao Povo de Cabinda como ao Governo Angolano, sobre o plano maquiavélico do Governo invasor angolano em querer envenenar os seus 8 membros que ainda se encontram nas masmorras do Governo Angolano por defenderem o direito de autodeterminação e independência de Cabinda.

Fonte: MIC

A organização supracitada faz um repto a esse Governo invasor, antiquado e maquiavélico a escusar deste plano sádico e a optar em dialogar com os Nacionalistas Cabindeses. Estamos cientes e não mendigaremos solução nenhuma, antes porém, a exigiremos com todos os meios a nossa disposição. Urge o tempo de Angola cessar a paixão mórbido que tem por Cabinda, pôs é vergonhoso guerrilhar por algo que não é seu por Direito.


Em suma, apraz-nos dizer ao Povo e a Comunidade Internacional que a resolução definitiva do problema de Cabinda já não será alcançada por via de força mais sim, com o diálogo sincero e aberto entre ambos povos e, o MIC propõe persistentemente a realização de um REFERENDUM pró-independência.
Outrossim, o MIC, informa ao Povo e a Comunidade Internacional de que a chama da TOCHA da revolução cabindesa se mantém acesa.


Sem mais outro assunto de momento, despedimo-nos na certeza de que os angolanos são humanos e têm consciência capaz de discernir o bem e o mal e por conseguinte, esta carta aberta merecerá a vossa atenção e reflexão.


Cabinda Pátria Imortal

Cabinda, aos 23 de Dezembro de 2019


Ø Secretário Para Informação e Comunicação -------------------------------------------
António Tuma



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: