Lisboa - Lourenço Bento António, antigo jornalista da Vorgan e  actual secretário da Presidência para a Comunicação e Marketing da UNITA, é a figura a quem o maior partido da oposição está a preparar para ser admitido como conselheiro da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA), em substituição do jornalista Carlos Alberto.

Fonte: Club-k.net

Até Novembro de 2019, altos dirigentes da UNITA, da linha de Chipindo Bonga, tranquilizavam que não iriam pedir a cabeça de Carlos Alberto da ERCA pela feroz campanha de hostilização movida contra a imagem de Adalberto Costa Júnior, no último congresso do partido. Em apostas nas redes sociais, o jornalista prometera demitir-se da ERCA, caso Adalberto Júnior fosse eleito Presidente do partido fundado por Jonas Savimbi.

 

Na altura, o argumento dos dirigentes da UNITA era de que mesmo que Carlos Alberto não cumprisse com a sua promessa de deixar a ERCA com os seus próprios pé não iriam força-lo a sair porque não era intenção do partido atira-lo para o desemprego.

Durante o mês de Dezembro, a direcção da UNITA mudou de posição cedendo a pressões vindas da ala juvenil do partido que exigia a substituição incondicional de Carlos Alberto da ERCA, por motivos de coerência.

“Ele tem que honrar com a sua palavra de sair da ERCA por isso achamos que não é digno que ocupe um cargo pelas mãos de um partido cujo o líder ele andou a destratar publicamente”, disse uma fonte da JURA que prefere não ser identificada.

 

Apesar de ter entrado pelas mãos da UNITA para a ERCA, o jornalista Carlos Alberto não pode ser retirado desta instituição pelo partido que propôs o seu nome. De acordo com esclarecimentos, para a sua saída da ERCA, são assinalados apenas duas condições que seriam por via da votação no parlamento angolano por motivos disciplinares ou por renuncia a pedido do próprio. Logo após a realização do congresso da UNITA, Carlos Alberto deixou claro nas redes sociais que não se demitiria da ERCA por conta de conselhos dos seus colegas.

 

Para a sua saída por via de um processo de votação parlamentar, a UNITA, segundo revelaram ao Club-K, conta ter aliados no regime da linha de Adelino de Almeida e Paulo Mateta que desapreciam a conduta de Carlos Alberto. Estes aliados, mostram-se abertos para persuadir a bancada do MPLA, em usar o seu voto de maioria para votar pela expulsão de Carlos Alberto da ERCA.

 

Lourenço Bento, a quem a UNITA faz gosto de tê-lo como seu indicado para a ERCA, é um coronel reformado oriundo das extintas FALA, exercito na qual integrou um "Batalhão Regular" onde há duas décadas foi ferido em combate, em Mulondola. Quando passou para a vida civil na Jamba, tornou-se num dos promotor das chamadas "Chamas do Guerrilheiro” que era um programa que visava doutrinar as populações sob custodio da UNITA com o pensamento estratégico de Jonas Savimbi. Ainda no tempo da guerrilha, era Lourenço Bento que a partir do Bailundo chefiava a chamada “Kwacha Press”, agencia de informação da UNITA que contrapunha a Angop, do Governo. Teve também passagem pela extinta Rádio Vorgan.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: