Luanda - O gabinete de estudos económicos do Standard Bank estima que a economia de Angola consiga sair da recessão já este ano, registando um crescimento de 1,4% do PIB e de 1,2% em 2021.

Fonte: Lusa

"Angola deverá muito provavelmente sair da recessão de quatro anos em 2020; pela primeira vez desde 2016, a produção de petróleo deverá crescer, sendo a nossa previsão um crescimento de 5,6% na produção de petróleo, para 1,43 milhões de barris por dia este ano", dizem os economistas.

 

No relatório mais recente sobre as economias africanas, enviado aos clientes e a que a Lusa teve acesso, os analistas deste banco sul-africano elogiam o "ímpeto reformista" do Presidente de Angola, João Lourenço, e escrevem que a estabilidade política deverá manter-se até às próximas eleições, considerando ainda que o aumento das manifestações no país demonstra mais a liberdade de associação do que um descontentamento com a situação económica.

 

Sobre a inflação, escrevem que deverá ficar nos 24,3% este ano e 25,4% no próximo, subindo de 17,1% em 2019, ao passo que as contas públicas deverão ficar equilibradas este ano, melhorando depois para um excedente de 1,2% em 2021.

 

Já a dívida pública deverá ter aumentado para 112,6% das receitas fiscais este ano, e 110% face ao PIB de 2019, o que deverá levar o Governo a continuar a apostar nos mercados internacionais enquanto tenta renegociar os empréstimos bilaterais.

 

"Antecipamos que o Governo continue a ir aos mercados para a emissão de Eurobonds, já que estratégia de dívida nacional é substituir a dívida que tem o petróleo como colateral por dívida sem garantias, o que já foi feito com o Brasil no ano passado, está a ser negociado agora com Israel e deverá provavelmente ser negociado também com a China".

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: