Luanda - Na recente entrevista do Presidente da Republica, ao canal de noticia alemão DW, o Chefe de Estado foi mais uma vez profundo ao afirmar que “Ninguém pode dizer que não fazia parte do sistema. Todos nos fizemos parte do sistema. Mas quem está em melhores condições de corrigir o que está mal e melhorar o que está bem são precisamente aqueles que conhecem o sistema por dentro. Isso foi assim em todas as revoluções, se assim quisermos chamar.”.

Fonte: Club-k.net

De facto esta expressão equivale o que dizia o grande filosofo Sócrates “que conheça-te a si mesmo”. O Presidente por ser, Presidente do MPLA e da Republica e conhecendo bem os meandros da corrupção e com a ajuda de toda a sociedade é a figura indicada para liderar este combate, que não deixara ninguém de fora , aqueles que anos a fios, viveram a custa do roubo enquanto os sectores da vida pública como a educação saúde em geral padeciam com magros salários

 

A engenheira Isabel dos Santos e outros barões que duvidavam que algum passo fosse dado nesta direção ignorando a lei de repatriamento de capitais, pensando que se tratava de mais uma lei igual a da probidade administrativa aprovada no regime anterior que não saiu do papel para a esfera da aplicação, é assim que foram assobiando pela janela, com o olhar posto na baia de Luanda, quando os seis meses que a lei permitia estava se esgotando.

 

O Presidente da República ao reafirmar que não haveria negociação com a Isabel dos Santos e outros que de forma negligente quiseram deixar para o fim o cumprimento da lei ,é prova mais que evidente de que não se negocia o bem precioso que são as riquezas de todos angolanos em posse indevida de algum pequeno grupo de mafiosos e oligarcas.

 

No congresso extraordinário o congresso do MPLA, afirmou e citamos “ninguém tenha duvida combateremos a corrupção e não se admirem que possam cair em primeiro lugar, militantes e dirigentes do MPLA”.


De facto, o combate a corrupção esta a levar ministros, governadores, administradores e membros do comité central do MPLA estão a conhecer as portas da comarca, afinal é a mesma mensagem clara que não deixava ninguém de fora e aqueles que persistirem no erro da ganancia irão parar.

 

É preciso que toda riqueza que não tem justificação deve ser objeto de inquérito judicial por quanto há combinação intrínseca entre a posse da riqueza de fontes corruptas e o trafico ilícito de drogas que aos poucos esta assumir num país contornos alarmantes, é só olhar para o numero alto de apreensões de drogas no aeroporto internacional, as pobres angolanas a serem usadas como transportadoras com todo o risco dai decorrente, sem que os verdadeiros mandantes versus consumidores sejam conhecidos a luz do dia.

 

Existe sim conexões que tornam necessários um estudo dos criminólogos para melhor identificar o fenómeno que o combate a corrupção encerra outras démarches.

 

Os inquéritos judiciais que venham a dar outros arrestos, devem ser continuo que os “testas de ferro” de variadas operações ocultas que levaram a extrema pobreza do país, devem denunciar os seus patrões e o Estado deve sim proteger esta figura.

 

A corrupção sem sombra de duvidas foi sempre o eixo do mal para o país e é preciso que ganhemos consciência disso, e que deste mandato do Presidente João Lourenço que se ergue uma nobre nação, com compatriotas inspirados com o desejo de construir uma nação verdadeiramente que olhe em primeiro lugar o angolano e angolanas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: