Luanda - O administrador municipal de Malanje, João de Assunção Agostinho está a ser acusado por fontes locais de ter contratado a empresa de um amigo para prestação de serviços naquele órgão dependente do governo provincial.

* Carlos André
Fonte: Club-k.net

“O que está acontecer na Administração de Malanje pode ser mais um daqueles exemplos claros de má gestão e abuso de poder. A PACE, empresa do seu amigo Paulino Agostinho Chicama Eduardo simplesmente No Eduardo é uma das empresas que absorve as verbas que caiem na administração, sob pretexto de pagamento de prestação de serviços”, refere a denuncia.

 

Segundo explicação da fonte, a empresa PACE de Paulino Eduardo Chicama, “fornece os tinteiros para a administração, recebendo para tal a avultada soma de 18 milhões de kwanzas, com o compromisso de receber 30 por cento do valor.”

 

Para a fonte “O único serviço que a administração paga tem a ver com os tais tinteiros fornecidos, por sinal pela mesma empresa do seu amigo. Os negócios do administrador ligam-no ainda a um cidadão libanês, de nome Sarawi Lasmi, que por sua vez é marido da senhora Marla Carlota, directora do GEPE da administração Municipal de Malanje.”


“O facto de ser as empresas do amigo do administrador a prestar serviço na administração de Malanje está a gerar grande confusão e clima de enorme contestação no município. É um autêntico filme o que se passa na administração de Malanje”, lamentou a fonte.


Malanje (por vezes erroneamente grafada como Malange) é uma cidade e município de Angola, capital da província de Malanje.Segundo as projeções populacionais de 2018, elaboradas pelo Instituto Nacional de Estatística, conta com uma população de 569 474 habitantes e área territorial de 2 422 km², sendo o município mais populoso da província.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: