Luanda - Dois jornalistas da Palanca TV queixam-se de terem sido agredidos hoje por agentes da polícia angolana, em Luanda, enquanto cobriam uma manifestação em protesto contra a tomada de posse do novo presidente da Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

Fonte: Lusa

"Eu, particularmente, fui violentamente agredido por vários agentes, estou neste momento com ferimentos nos braços e no pé em consequência da carga policial, o meu colega da imagem também e inclusive danificaram a câmara", contou à Lusa José Kiabolo, da Palanca TV, lamentando a situação.

 

Segundo o jornalista, que se encontrava numa unidade hospitalar, o facto ocorreu no Bairro Azul, adjacente ao parlamento angolano, e foi protagonizado por "mais de cinco efetivos" que impediam que se entrevistasse os manifestantes.

 

Naquele local, adiantou o profissional, foram encaminhados, "sob carga policial", jovens manifestantes, sobretudo afetos à União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), maior partido da oposição, que contestam a posse o juiz Manuel Pereira da Silva.

 

"Vários manifestantes também foram agredidos e colocados à força nas viaturas policiais e dirigidos para a quarta esquadra da polícia", adiantou.

 

Um forte cordão policial marca presença em todo o perímetro do parlamento angolano, onde deve ser empossado hoje o novo presidente da CNE, apesar da contestação de partidos na oposição e sociedade civil, que apontam "várias irregularidades".

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: