Às
Mulheres do meu país sem excepção
Companheiras da Liga da Mulher Angolana
Minhas Mamãs,
Minhas Manas e
Prezados Mais Velhos!


Saudações patrióticas e revolucionarias e sobretudo de uma luta que triunfa em prol do homem Angolano desprotegido na sua múltipla dimensão e na terra que lhe viu nascer.


Companheiros e Companheiras!

Correligionários!


A trajectória da UNITA, desde os primórdios da luta, contou sempre com a contribuição da Liga da Mulher Angolana, combatendo lado a lado com o companheiro homem no desbravamento de situações difíceis em que o país esteve e está mergulhado.


No ardor revolucionário e patriótico assente no pensamento mestre e clarividente do promotor da emancipação da mulher, o Dr. JONAS MALHEIRO SAVIMBI, a LIMA sempre primou por princípios democráticos, inspirada por normas e procedimentos que conformam as organizações democráticas, tal como no passado é assim hoje em pleno Século XXI, o século da dinamicidade dos fenómenos e de extrema competitividade.


É neste quadro que a LIMA, no âmbito da renovação dos seus órgãos directivos realizará o seu Congresso em Abril do ano em curso, para renovar os seus órgãos e debater sobre assuntos internos da organização e do país em geral.


E neste contexto, depois de ter sido contactada e encorajada por várias sensibilidades e segmentos da nossa LIMA, dos sectores do nosso prodigioso Partido, a UNITA e após uma reflexão profunda, avaliando todos os factores objectivos e subjectivos, decidi candidatar-me ao cadeirão máximo da Liga da Mulher Angolana, a nossa LIMA.


Os especialistas em gestão de pessoas dizem que: " há aqueles que consideram que o sucesso não depende única e simplesmente da acção dos colaboradores, mas da forma como são conduzidos, porque são conduzidos e por quem são conduzidos". Quanto à nós, é nossa convicção que esses factores devem combinar-se, para o alcance das metas desejadas, pela organização e sobretudo pelo Movimento dos Conjurados do 13 de Março.


Percorrendo o itnerário da nossa LIMA e olhando para o papel a ela reservado e porque é mesmo só dela, não temos a mínima dúvida do nosso engajamento nos propósitos da Organização e do Partido no seu todo.


Trata-se de um desafio que encaramos de cabeça erguida, com toda a nossa força anímica, com as nossas energias físicas e intelectuais, com a nossa bagagem política, contando, como é óbvio com o envolvimento de todas as componentes da nossa Organização.


À Liga da Mulher Angolana foi dada a missão de mobilizar, organizar, enquadrar e promover as mulheres angolanas para os grandes objectivos definidos pelo nosso glorioso Partido, que visam acima de tudo a realização plena dos angolanos.


É para a materialização desse desiderato, tendo como metas imediatas as eleições autárquicas em 2020 e as eleições gerais em 2022 que a LIMA deve se propor a trabalhar.


Com esta intenção, ora manifestada, quero com toda a vénia, solicitar a todos companheiros e companheiras uma estreita colaboração, para que com o vosso esforço conjugado possamos ter um mandato que resgate a mística de “OLIMA YETU YA FINA KATAVELE WAPUMBA”.


Eu Manuela dos Prazeres de Kazoto, mas conhecida porNela Kazoto, vossa irmã, vossa filha, vossa mana e vossa companheira de trincheira dos bons e azedos momentos, durante a nossa difícil trajectória à procura da liberdade, respondi, favoravelmente ao vosso chamamento, pois acho que não posso defraudar as vossas expectativas, pois como soí dizer-se “a voz do povo é a voz de Deus”.


Estarei aberta às críticas e às contribuições para que a procura do sucesso seja combinado de forma comprometida e aglutinada.


Reitero as minhas cordeais saudações na certeza de que unidos no pensamento, na acção e no respeito pela diversidade de opiniões, venceremos.


Com estima e consideração, sou e serei sempre a vossa Companheira,
___________________________
Manuela dos Prazeres Kazoto



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: