Luanda – O actual chefe de Segurança Marítima do Instituto Marítimo e Portuário de Angola (IMPA), Carlos Camilo Mendes, está a ser investigado pela justiça angolana por várias irregularidades financeiras, dentre os quais o proveito pessoal que teve de uma multa aplicada a um navio denominado “Perro Negro 6” que em Julho de 2013 embateu contra poço de petróleo na Base do Kwanda, no Soyo, em Angola.

Fonte: Club-k.net

Investigados por descaminhos de fundos públicos 

Na altura as autoridades aplicaram a multa equivalente em cerca de 3 milhões de dólares americanos contra o navio, mas segundo apurações, os valores da multa não foram parar aos cofres do Estado. As investigações das autoridades notaram que os referidos valores - da multa -  foram distribuídos entre funcionários do Ministério dos Transportes, entre os quais Carlos Camilo Mendes que, a data dos factos, exercia as funções de inspector do Instituto Marítimo e Portuário de Angola (IMPA).

 

As autoridades notaram que, aquando do desaparecimento da multa aplicada ao navio “Pierro Negro”, foi creditada na conta bancária de Carlos Camilo Mendes mais de 350 milhões de kwanzas, para além de outros bens patrimoniais que deveriam constar da esfera de interesse público.

 

Depois das funções de inspector do IMPA, Carlos Camilo Mendes foi nomeado, em Junho de 2016, para o cargo de Capitão do Porto de Amboim pelo que agora recaem sobre si, acusações de que fazia negócios consigo próprios e recebimento de multas aos navios sem que tivesse dado entrado nas contas do Estado. Pesam sobre si, também acusações sobre não pagamentos a segurança social.

 

Carlos Camilo Mendes é acusado de ter feito da Capitania do Porto de Amboim, local de negociatas que envolvia o pagamento de salários a funcionários que não trabalhavam na capitania, adulteração de certificados de habilitações para aumentar as categorias e os salários dos seus subservientes, aquisição de embarcações velhas ao triplo do preço de embarcações novas, sobre-facturações e outros.

 

No passado dia 23 de Janeiro foi notificado pela Sub-Procuradora Geral da República para prestar esclarecimento a volta de irregularidades num processo que tem como principal figura Kinavuidi Miguel Suamino Paulo, o Chefe do Departamento de Recursos Humanos e Tecnologias de Informação do IMPA.

 

Presentemente Camilo Mendes é o Chefe do Departamento de Segurança Marítima do Instituto Marítimo Portuário de Angola, nomeado (Despacho n.º 386/19) assinado pelo novo ministro Ricardo de Abreu de quem é amigo desde o tempo em que ambos estudavam em Portugal.

 

O Club-K teve acesso a extractos das contas do Porto do Soyo, em que se verifica transacções em favor de Camilo Mendes ao tempo em que ai estava colocado como inspector. Tais pagamentos injustificados são também verificados em contas da Capitania do Porto Amboim, que o mesmo dirigia.

 

Isto é, em Abril de 2016, o IMPA recebeu AKZ 1.694.087.200 na conta do BFA e os seus responsáveis distribuíram o dinheiro da seguinte forma: Daniel Faustino, antigo director técnico - AKZ 90 milhões (fase I), Carlos Camilo Mendes - AKZ 270 milhões (fase I), e outros AKZ 290 milhões para a empresa PATIANA - Sociedade Comercial e Industrial, Limitada detida pela família Francisco Coche.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: