Lisboa – A UNITA, está em vias de anunciar o acolhimento nas suas fileiras do político, Júlio Tchimlindo de Paiva que a dada altura exercia as funções de membro do Secretariado da Comissão Executiva e de dirigente do  Comité Provincial do MPLA, no Huambo.

Fonte: Club-k.net

A adesão de Júlio de Paiva é o  assunto mais comentado nas hostes restritas da UNITA, nesta província  havendo informação de que a sua apresentação pública poderá ocorrer ainda este final de semana num acto partidário.

 

Segundo uma  fonte do Club-K,   Júlio de Paiva já  foi no passado membro da UNITA, tendo entrado em ruptura com sua direção em finais dos anos 90. Para algumas vozes, o acto da sua apresentação,  é na verdade a sinalização do seu regresso ao partido fundado por Jonas Savimbi, depois de 25 anos.

 

De acordo com pesquisas, são exceções  ou raras casos de  dirigentes do MPLA que abandonam o partido para se juntar a UNITA. Na   historia  deste partido existirem alguns casos como foi o do antigo segundo  comandante da Polícia National,  em Luanda, Superintendente, José Adão da Silva que ficou conhecido como o primeiro caso de um alto funcionário do regime aderir ao “Galo Negro” logo após aos acordos de Bicesse. O regime nunca perduou Adão da Silva. No dia  14 de Julho de 1995, o ex-comandante foi  assassinado por rajadas de metralhadora quando se encontrava no interior duma viatura no parque do aeroporto de Luanda, altura da chegada a Angola do então Secretário Geral da ONU.

 

Em Julho de 1993, um então oficial das forças do MPLA, Amadeu Chitekulu (na foto) fugiu para Lisboa e a partir dali chamou a imprensa para anunciar o seu regresso ao movimento de Jonas Savimbi.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: