Luanda – Altos funcionários da Administração Municipal de Viana manifestam agastados com os serviços da empresa de recolha de lixo “Nova Ambiente” a quem acusam de incumprimento nas suas responsabilidades contratuais.

Fonte: Club-k.net

Operadora recusa se  a recolher lixo dos bairros “Vila Flor”, “Zango”

Contratada em 2016, pelas mãos do antigo governador Higino Carneiro, o GLP confiou a operadora “Nova Ambiente” a missão de prestar serviços de recolha de resíduos sólidos ao maior município de Luanda. Porém, nos últimos dois meses a administração de Viana lamentam que esta operadora tem estado a frustrar as expectativas furtando-se das suas obrigações.

 

Fonte que acompanha o assunto, clarifica que a recolha não esta a ser feita como faziam anteriormente e acusam a operadora de fazer chantagens, uma vez que a “Nova Ambiente”, de acordo com a mesmo alega falta de pagamento como justificação das suas tarefas.

 

O descontentamento da administração para com a “Nova Ambiente”, segundo revelaram ao Club-K, agravou-se depois de registar montanhas de lixos ao redor da biblioteca municipal causando a existência de charcos que têm provocado a reprodução de mosquitos e outros insectos prejudiciais à saúde humana.

 

A administração, de acordo com a fonte do Club-K, alega que para além de falta de pagamento, os responsáveis da “Nova Ambiente” alegam que o aterro sanitário está cheio e que os mesmos não tem por onde deitar os resíduos recolhidos.

 

Tendo sido contratada para cobrir o todo município, a administração reclama também que esta operadora furta-se a realizar serviços de recolha de resíduos sólidos em áreas deste município como é o caso dos bairros “Vila Flor”, “Zango” e “nova centralidade 5”. A resposta que os gestores da empresa invocam, segundo a fonte, é que estes bairros não fazem parte do contrato.

 

Muito embora o contrato tenha sido feito a nível do Governo Provincial de Luanda, ao tempo de Higino Carneiro, a Administração de Viana apela aos órgãos competentes para revisão dos termos dos acordos feitos uma vez que este departamento desconhece o que estabelece o contrato feito o GPL e a “Nova Ambiente”, a quem foi dado o monopólio para cuidar do saneamento de Viana.

 

Fonte da administração alega que o acordo feito entre o GPL de Higino Carneiro e esta operadora é obscuros e que nem os funcionários desta repartição tem acesso a uma copia. A administração vai mais longe defendendo a contratação de uma outra empresa que seja mais profissional e com um contrato transparente.


Fundada em 2014, a “Nova Ambiental” é representada por um cidadão brasileiro Paulo Frederico Brito de Sousa e na parte legal está um jurista  angolano Eurico Paz da Costa, muito ligado ao diretor do gabinete presidencial, Edeltrudes Maurício Fernandes Gaspar da Costa.


A nível de Luanda, o serviço de recolha de resíduos sólidos é assegurado por mais três operadoras, entre as quais a Elisal, Queiroz Galvão, Rangol.

Lixo de fronte a biblioteca de Viana



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: