Luanda - Face ao Desenvolvimento da doença de Coronavírus (COVID- 19), a nível global, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial de Turismo (OMT), emitiram a 20 de Fevereiro uma declaração conjunta, onde se comprometem a trabalhar juntos, orientando a respostas dos sectores de viagens e turismo ao COVID-19.

Fonte: Governo

Aos 30 de janeiro de 2020, o Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de COVID-19 como uma Emergência de Saúde Pública, de Interesse Internacional e emitiu um conjunto de Recomendações Temporárias. A OMS está a trabalhar em estreita colaboração com especialistas internacionais, governos e parceiros para expandir rapidamente o conhecimento científico sobre esse novo vírus, rastrear a propagação e virulência do vírus e fornecer conselhos aos países e à comunidade global sobre as medidas para proteger a saúde e impedir a disseminação deste surto.

Cooperação é fundamental

O Sector do Turismo gera um fluxo global de movimentação de pessoas, estimando em 1,4 bilhões de pessoas o que perante o COVID-19 representa um risco face ao elevado nível de contágio da doença, o que exige a tomada de medidas migratórias restritivas por diferentes países, medidas também adoptadas pelo nosso país abrangindo, sobretudo cidadãos de países gravemente afectados pelo surto.


Reconhecendo que a cooperação internacional constitui um elemento fundamental na intervenção para a prevenção e o combate do COVID-19, o Ministério do Turismo e o Ministério da Saúde promoveram uma reunião para os agentes e operadores do sector do turismo, em Luanda, para informar, esclarecer e assegurar que o sector possa efectivamente, contribuir para a contenção do COVID-19.


As duas instituições estão a colaborar com foco na garantia de que as medidas de saúde sejam implementadas de maneira a que o Sector de Turismo responda de modo proporcional a ameaça à saúde pública e com base na avaliação de risco local, envolvendo todas as partes da cadeia de valor do turismo - órgãos públicos, operadores turísticos, empresas privadas e turistas, de acordo com as orientações e recomendações gerais da OMS.


Neste momento desafiador, o Ministério do Turismo e Ministério da Saúde unem-se a todas as forças que compõem o panorama socioeconómico do país, como também em solidariedade aos países afectados por esta epidemia e estão conscientes das repercussões negativas do surto no sector do turismo, apelando aos agentes da cadeia do turismo para se unirem os esforços e apoiar a implementação do plano de contingência face o controlo de epidemia do COVID-19.


Neste contexto, e, tomando como referência as situações relativas aos navios de cruzeiros que apresentaram casos a bordo, obrigando a imposição de procedimentos adequados, como quarentena e em casos mais extremos o impedimento de acostagem e o desembarque dos passageiros. As duas instituições reagindo ao programa do navio, Silver Cloud, com 194 passageiros a bordo, de diferentes nacionalidades que tinha a sua chegada prevista ao nosso país, no porto do Namibe, decidiram cancelar este programa, o mesmo foi devidamente tratado com o operador Travelgest, impedindo assim a atracagem do referido navio ao nosso país e os demais agendados, e que


Ministério do Turismo em Luanda, aos 14 de Março de 2020.
A Directora do Gabinete Maria Carolina Barros

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: