Benguela - A Comissão Multissectorial provincial contra o Covid-19 desmentiu, na quarta-feira, a existência de um suposto caso positivo do coronavírus, alegadamente um cidadão de nacionalidade chinesa que se encontra internado no Hospital Geral de Benguela.

Fonte: Angop

"O paciente chinês já se encontra no país há 50 dias"

A informação foi avançada pelo director do Gabinete provincial da Saúde, António Cabinda, que falava aos Jornalistas após uma visita efectuada pelo governador Rui Falcão àquela unidade sanitária, para constatar a veracidade das informações veiculadas nas redes sociais.

 

Segundo o responsável, trata-se de um cidadão chinês residente na província, que chegou a Angola a 15 de Janeiro, proveniente da China, (tendo escalado igualmente a Etiópia) e que apresentou inicialmente sinais de febre e dirigiu-se a uma unidade sanitária no bairro da Graça, onde lhe foi diagnosticado malária.

 

António Cabinda acrescentou que, depois de três dias, apresentou um quadro com dificuldades respiratórias e foi-lhe diagnosticado também pneumonia.

 

O director adiantou que o paciente não tem perfil clínico nem epidemiológico ligado ao coronavírus (cuja incubação é de quatro a 14 dias), sendo que o mesmo já se encontra no país há 50 dias e, neste momento, nos cuidados intensivos.

 

“A província continua até o momento sem casos da pandemia do coronavírus e as autoridades estão a trabalhar activamente em acções preventivas, no sentido de salvaguardar o bem-estar da população”, disse o também médico.

 

Fez saber, por outro lado, que, a Comissão Multissectorial provincial contra o Covid-19 já trabalha na criação de um centro para quarentena.

 

Quanto às falsas notícias veiculadas nas redes sociais para criar pânico na população, António Cabinda tranquilizou a sociedade, ao mesmo tempo que aconselhou a seguirem as informações oficiais e acatarem as orientações de prevenção da doença.

Tema relacionado 

 
Covid-19: SIC prende médica por divulgar resultado de paciente chinês

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: