Benguela - O cidadão chinês suspeito de estar infetado com o novo coronavírus morreu na quinta-feira,19, no Hospital Geral de Benguela (HGB), em Angola, disseram fontes hospitalares nesta sexta-feira, 20.

*João Marcos
Fonte: VOA

O paciente, recentemente chegado da China, tal como confirmam as autoridades sanitárias, padecia de “pneumonia grave”.

 

A médica detida por ter divulgado um audio a dizer que o teste ao paciente teria dado positivo, foi libertada sob medidas de coação.

 

As suspeitas de coronavírus, alimentadas por “dificuldades respiratórias e gripe", segundo médicos do HGB, foram desfeitas após os testes realizados em Luanda.

 

O diretor do Gabinete Provincial de Saúde, António Manuel Cabinda, reiterou, no rescaldo de uma visita ao cidadão, ao lado do governador Rui Falcão, que Benguela “não tem casos de coronavírus”.

 

“Todos os casos suspeitos, incluindo este (do chinês), deram negativo. O nosso sistema de vigilância epidemiológica está a funcional” , assinala o também membro da comissão provincial que trata da prevenção.

 

O cidadão morreu uma semana após ter dado entrada na maior unidade hospitalar da província.

Médica em Liberdade

A medica foi colocada em liberdade sob termo de identidade e residência.

 

Manuela Adão, indiciada no crime de violação de segredo profissional, foi libertada após ter sido ouvida pelo Ministério Público, que aplicou a medida de coação pessoal.

 

O Sindicato Provincial dos Médicos denunciou “atropelos” e, ainda com a filiada em prisão, chegou a prometer manifestações e greve geral.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: