Alemanha - Numa Nota de Imprensa enviada a nossa redacção, a Comissão Instaladora do Partido ARDA- Acção pelo Reforço da Democratização em Angola, “tendo-reunido em sessão extraordinária com os seus Conselheiros Principais para avaliar o estado crítico em que a nação e o povo angolanos se encontram”, lê-se no documento, aquela força política angolana a espera de reconhecimento definitivo pelo Tribunal Constitucional, alega sentido de estado e patriotismo, como argumentos que sustentam sua decisão.

Fonte: ARDA

Na nota a que vimos citar a ARDA explica-se: “Outrossim, tendo reflectindo e meditando profundamente nas consequências á medio prazo dessa pandemia na vida social, económica e financeira assim como equacionado seu peso no Orçamento Geral do Estado; considerando sermos também patriotas e bons leitores e interpretadores de fenómenos, cenários e conjecturas vindouras, somos de propôs o adiamento das eleições Autárquicas previstas para este ano”.


Na mesma nota, o partido que também ordenou a suspensão em todo país do processo de recolha de assinaturas que vinha realizando até aqui, “solidariza-se com as medidas e desempenho do executivo angolano, em tudo fazer para proteger os cidadãos nacionais bem como os estrangeiros residentes no nosso país”. Por outro lado e fazendo ainda referência ao documento em causa, a ARDA reafirma a sua “determinação em tudo fazer enquanto força política, no sentido de continuar a sensibilizar e mobilizar nossos militantes, simpatizantes e cidadãos no geral, no sentido de seguirem as instruções periódicas fornecidas pelo Ministério da Saúde e órgãos afins”, lê-se.


De lembrar que a ARDA tem como Coordenador da sua Comissão Instaladora Teka N ́tu, cidadão angolano formado em Criminologia na Bélgica e Avaliação de diamantes no Reino Unido, assumiu cargos políticos de destaque entre outros nos comités da UNITA e posteriormente do MPLA onde foi coordenador e representante regional, respectivamente. Nas últimas eleições legislativas Teka foi o número 7 da lista de candidatos á deputados pelo partido APN, do qual foi também director adjunto de campanha.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: