Lisboa – O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço dispensou desde o passado dia 22 de Março, o ministro do interior, general Eugenio Cesar Laborinho, para que este possa observar uma quarentena voluntária  de 14 dias por conta da exposição a que se submeteu junto de passageiros  que provenientes de Portugal que aterraram  no aeroporto de Luanda, no passado dia 18. De entre os passageiros, estava uma filha sua, Shelsea Laborinho.

Fonte: Club-k.net

Na mesma ocasião, o Chefe de Estado o afastou também do papel de coordenar adjunto da Comissão Intersectorial de Gestão das Medidas Contra a Expansão do COVID-19, que passa a ser coordenada pelo Chefe da Casa de Segurança, general Pedro Sebastião e secundada pela ministra de Estado, Carolina Cerqueira.

 

Segundo fonte do Club-K, foi igualmente determinado que enquanto cumprir a “quarentena domiciliar”, as suas tarefas institucionais, serão exercidas interinamente pelo secretário de Estado para o Asseguramento Técnico, comissário-chefe Salvador José Rodrigues.

 

Nesta quarta-feira, o Presidente da República, João Lourenço, convocou uma reunião do Conselho da República em que declarou, para o dia 27 de Março deste ano, Estado de Emergência Nacional, para o combate ao Covid-19. Na referida reunião, o secretário de Estado Salvador,  José Rodrigues é quem esteve em representação do ministério do Interior.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: