Luanda - O Seleccionador Nacional Sénior masculino de basquetebol, William Voigt, confirmou, em entrevista à Televisão Pública de Angola (TPA), ter processado a Federação Angolana da modalidade (FAB) junto do tribunal arbitral do desporto.

Fonte: JA
No vídeo que circula igualmente nas redes sociais, o norte-americano disse reconhecer o actual momento de austeridade financeira que o país atravessa, razão pela qual, propôs a liquidação da dívida em várias tranches.

"A minha proposta foi que pudesse ser pago em cinco tranches, tendo em conta que a situação financeira em Angola tem afectado todo mundo. Mas a minha maior preocupação recai para os meus auxiliares, membros do corpo técnico que trabalharam comigo na selecção", disse, tendo feito igualmente referências ao pendente com os atletas que trabalharam consigo na selecção.

Voigt diz ter feito contactos com a direcção da Comissão de Gestão da FAB, liderada por Gustavo da Conceição, com o objectivo de perspectivar a preparação da Selecção Nacional sénior masculina, tendo em vista a disputa do Torneio Pré-Olímpico, previsto para decorrer em Junho próximo, em Kaunas, Lituânia.

"Tentei em várias ocasiões a comunicação com o presidente Gustavo da Conceição, líder do actual elenco federativo. Infelizmente só obtive resposta em Dezembro último, com a promessa de voltar a entrar em contacto comigo brevemente, mas isso não veio a acontecer até hoje", lamentou.

Em declarações à Rádio 5, no início da semana, Gustavo da Conceição disse que a intimação é, no entanto, dirigida ao ex-presidente daquela instituição, Hélder da Cruz “Maneda”.

O comentaria para a modalidade, Júlio Pinto "Viló", em declarações ao mesmo canal, ontem, considera que o país corre o risco de ser suspenso de determinadas competições e, eventualmente, ser irradiado por incumprimento dos compromissos contratuais.

Para o analista, é necessário levar em consideração que William Voigt é bem assessorado juridicamente e está disposto a levar o assunto até as últimas consequências, sobretudo por ter vínculo com uma instituição do Estado angolano.

"O tribunal arbitral do Desporto ao notificar a FAB está a fazer uma espécie de chamada de atenção para a mudança de postura. Não é uma questão pessoal, por isso a abordagem de Gustavo da Conceição devia ser diferente", analisou.

Quando foi indicado para liderar a Comissão de Gestão, em Novembro último, Gustavo da Conceição assumiu que encontrou uma dívida de mais de um milhão e meio de dólares norte-americanos e outra de quase 300 milhões de kwanzas.

Na ocasião, disse serem valores referentes ao pagamento de salários a funcionários, atletas e treinadores que estiveram ao serviço das selecções nacionais, ao ex-presidente da federação, ao seleccionador nacional e distintos adjuntos, bem como ao advogado deste.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: