Luanda - A Grandes Moagens de Angola (GMA) prolongou o seu apoio diário às populações carenciadas, com a oferta de farinha de trigo para a produção de 35 mil pães por dia durante a segunda fase do Estado de emergência, que termina a 25 deste mês. Aos 35 mil pães juntam-se outros cinco mil a serem fornecidos pela Casa dos Frescos, perfazendo40 mil pães diários.

Fonte: JA

Durante a primeira fase do Estado de Emergência e em articulação com a Comissão Nacional Interministerial para a Prevenção e Combate à Covid-19, a Grandes Moagens de Angola disponibilizou farinha de trigo para a produção diária de 50 mil pães, em parceria com três padarias(Casa dos Frescos, Africana Discount e Franguinho).


Essa produção beneficiou os internados nos centros Lar Kuzola, Horizonte Azul, Centro de Recolha de Meninas Órfãs, Hospital Psiquiátrico, Hospital Pediátrico, Centro de Toxicodependentes da Barra do Dande e às paróquias da Igreja Católica em Luanda. A definição dos beneficiários, distribuição e entrega foi da inteira responsabilidade do Governo, através das entidades competentes.


Para a administração da GMA, “esta é uma decisão que se impõe, pois, se o Estado de Emergência se mantém, é importante manter o apoio e a solidariedade para com quem mais precisa. Em momentos difíceis, temos de ser capazes de partilhar e de colocar a nossa capacidade produtiva ao serviço do bem comum.”


A Grandes Moagens de Angola, que insiste na importância do reforço da produção nacional, “tem consciência do seu papel, quer no desenvolvimento da economia nacional, quer no apoio aos cidadãos deste país”, conforme admitiu um membro da administração.


A GMA, empresa de direito angolano, constituída por investidores nacionais e estrangeiros, tem como actividade principal a produção de farinha de trigo e secundária a produção de farelo de trigo.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: