Luanda - Por muito difícil que seja o momento que vivemos, sou dos que torce para que o Governo angolano pague, quanto antes, até ao último cêntimo, o empréstimo não tão bem utilizado do dinheiro que se pediu à China e restrinja ao máximo novos acordos de cooperação.

Fonte: Club-k.net

A má qualidade do investimento realizado em estádios, edifícios para habitação como as centralidades, aeroportos, caminhos-de-ferro, pequenas e grandes estações ferroviárias, hospitais, escolas, projectos agrícolas, estradas, pontes, pelo nível de degradação acelerada em apenas 10 anos ou pouco mais (ou menos), são uma demonstração de que nem o Governo chinês nem o seu empresariado, foram sérios na relação com Angola.


E não aceito o argumento de que eles só fizeram o que as autoridades de então permitiram. Não é bem assim! E quem lidou ou lida com chineses, sabe perfeitamente o quanto é difícil a relação com o empresariado chinês. Fazem tudo, mas absolutamente tudo, para fugir ao pagamento de impostos, para não cumprir regras, para dificultar a interacção com os angolanos. E mesmo quando há prestação de serviço, não são sérios nem na negociação e menos ainda no pagamento. O objectivo é apenas um: sufocar para levar a desistência e abrir a possibilidade para introdução de mais empresas chinesas. Pagam mal aos angolanos, tal como pagam mal aos seus próprios compatriotas; não estão preocupados com questões de segurança e menos ainda com questões sociais, ou de assistência médica.


Não fosse o Covid-19, estava para deflagrar nova greve na barragem de Caculo Cabaça, exactamente, porque a cada passo, criam dificuldades a entidade angolana contratada para alimentar os angolanos. Não só não pagam os serviços há mais de um ano, mas de forma engenhosa, criam constantemente cenários para dificultar a negociação: não aparecem, quando aparecem não têm tradutores ou já são outros que não dominam o dossier. Malandrice pura.


Não se trata de racismo, de xenofobia ou implicância. Estou certo que o tempo se encarregará de provar, que o Governo chinês não foi honesto na sua relação com os angolanos.


Não significa que em tudo estiveram mal. Significa sim, que a maior parte do que fizeram, foi, deliberadamente, uma aldrabice. E isso não é um acto isolado. Faz parte da estratégia de actuação do Governo chinês por todo lado onde se implantaram: sugam tudo, sufocam os países que recorrem aos seus financiamentos, para que depois possam apertar o seu cerco e espetar o ferrão.


Mas, acredito que aqui, vão 'bater na rocha'. Neucolonização, NUNCA! O diabo que os carregue e que não pensem que nos estão a fazer qualquer favor ao apoiar-nos nas acções contra o Covid-19. Já está pago. E até que se prove o contrário, são os culpados da propagação desse maldito vírus.


O minimo que se esperava, é que pelo que estamos a pagar, a prestação de serviço tivesse a mesma qualidade que se observa lá. E não foi o caso. Enganaram-nos!


Ramiro Aleixo
19.04.2020



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: