Luanda - O vice-presidente da Associação dos Estudantes das Universidades Privadas de Angola (AEUPA) afirmou que o pagamento de propinas do mês de Abril só vai ser feita mediante um pronunciamento do Ministério do Ensino Superior, que, até ao momento, ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: Jornal de Angola

Ao Jornal de Angola, Nilton Tima avançou que a Associação das Instituições do Ensino Superior Privados de Angola (IESPA) tem solicitado as universidades a suspenderem as multas, enquanto durar o período do Estado de Emergência. “A AEUPA e IESPA trabalham juntos, nesta altura, para desenhar cenários possíveis em caso da extensão do período do Estado de Emergência”, disse.

 

O líder estudantil lembrou que, em 2014, aquando do censo populacional, organizado pelo Governo angolano, os estudantes não tinham pago um mês, por conta da suspensão das aulas. “O pior cenário será vivido caso o Estado de Emergência ultrapasse os 45 dias, porque vai exigir medidas mais acertadas do Ministério do Ensino Superior e das associações parceiras”, disse.

 

Nilton Tima supõe que a ministra do Ensino Superior vai reunir com as associações antes de tomar uma decisão. “Não creio que haverá uma imposição no pagamento de propinas. Acreditamos que qualquer medida vai ser debatida entre as organizações, com o objectivo de encontrar uma solução mais justa”, disse, insistindo que a situação está a ser analisada, desde o momento da suspensão das aulas, quatro dias antes do decreto presidencial do Estado de Emergência, pelas associações das universidades e dos estudantes.

 

Como disse, as duas associações abordaram em reunião os indicadores e soluções dos possíveis cenários, advindos das medidas de combate à propagação da pandemia da Covid -19. “O Ministério do Ensino Superior não disse nada, até agora, de modo oficial”, realçou, para afirmar que aguardam pelo pronunciamento da titular da pasta do ensino, porque “tanto a AIESPA e AEUPA já uniram ideias que fizeram chegar ao Ministério”.

 

O vice-presidente da AEUPA acrescentou que muitas instituições do ensino superior já removeram a condição de multas para estudantes, que pretendam fazer o pagamento de propina. Não obstante a isso, aconselhou os estudantes a aguardarem pelo comunicado do Ministério do Ensino Superior sobre o pagamento ou não da mensalidade.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: