Luanda - Os 70 mil e 334 candidatos que realizaram provas para as sete mil vagas no sector da Saúde têm até o dia 30 deste mês para apresentarem as suas reclamações, anunciou sexta-feira, em Luanda, o director nacional dos Recursos Humanos do Ministério da Saúde, Baptista João Monteiro.

Fonte: Angop

Trata-se dos candidatos ao concurso público de 2019 para profissionais de saúde e do regime geral, em que se inscreveram 98 mil e 940 candidatos, dos quais 70 mil e 334 realizaram provas nos dias 26, 27 e 28 de Fevereiro deste ano, cujos resultados provisórios foram divulgados a 24 de Março.

 

Segundo o responsável, 25 mil candidaturas tiveram resultado positivo, sendo que as candidaturas, após esta fase, entram num processo de averiguação da veracidade dos documentos apresentados.

 

O director nacional acrescentou que resultado positivo não implica admissão do candidato, uma vez que será feita uma triagem assente na positiva mais alta, formação profissional, quota para portadores de deficiência ou residência na província onde houver a vaga.

 

Tranquilizando os candidatos, Baptista João Monteiro disse que o júri trabalha comprometido com a transparência, rigor e cumprimento da lei.

 

“As reclamações devem ser feitas através do portal www.ingresso-minsa.com e serão analisadas individualmente em até cinco dias, num processo que envolve os órgãos de defesa e segurança para coibir a manipulação de resultados”, disse.

 

Este é o segundo concurso da Saúde. O primeiro realizou-se em Dezembro de 2018 e foram admitidos cinco mil candidatos.

 

Angola tem seis mil e 400 médicos para pelo menos 28 milhões de habitantes.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um médico para cada mil habitantes.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: