Luanda - O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, considerou, em Luanda, necessário que se potenciem as normas e leis sobre os negócios virtuais em Angola.

Fonte: Angop

Em entrevista on-line à Platineline, o governante disse ser imperioso regular as actividades das startups (empresas emergentes) e pequenas empresas de negócios digitais, passando pelas incubadoras ou aceleradoras.

 

Considerou a inovação tecnológica um dos motores que alavancam o desenvolvimento social, por contribuir para a geração de receitas.

 

Para Manuel Homem, deve-se, também, reformular todo o ecossistema, para se poderem encontrar potenciais investidores.

 

A intenção é, de acordo com o governante, permitir que as ideias geradas possam culminar em planos de negócios orientados aos padrões internacionais.

 

Destacou ainda as acções de formação promovidas pelo Centro de Formação Tecnológico do ITEL, dirigida aos jovens, bem como a existência de uma incubadora para preparar e orientar todas as ideias que surgirem neste âmbito e estabelecer relação com possíveis investidores.

 

Destacou, inclusive, as mediatecas, onde existe internet de forma gratuita, para potenciar a inclusão digital, assim como o projecto AngolaOline, que conta com perto de 120 pontos públicos funcionais e a distribuição de internet às escolas.

 

Sobre os custos dos serviços de telecomunicações e internet, informou que o Ministério está a trabalhar para redução dos preços.

 

Em relação ao AngoSat1, reafirmou que o país tem usufruído das compensações de alguns serviços.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: