Lisboa – Desde de ter deixado de ir a Barcelona, e de se ter cruzado, com o novo Presidente num casamento familiar (da filha de Nandó com um sobrinho seu), em Setembro de 2019, em Luanda, fontes em Angola tem notado no general Leopoldino Fragoso do Nascimento “Dino” a adoção de uma conduta de impedimento a criticas contra o governo ou de entidades de órgãos de soberania feitas nos órgãos de comunicação social na qual é acionista.

Fonte: Club-k.net

TV ligada ao general  abalada com censuras consecutivas

Fragoso do Nascimento é o acionista principal do Grupo “Media Nova” que detém a “Rádio Mais”, “TV Zimbo” e o diário “O Pais”. Apesar de ser muito próximo ao antigo Presidente José Eduardo dos Santos, o general Leopoldino do Nascimento passou a ser citado como parte interessada nas mais recentes interferências da linha editorial da TV Zimbo, que tem resultado em censuras de programas com cariz critico ao governo do MPLA.


Apesar de a “TV Zimbo” ou os seus funcionários nunca terem assumido publicamente as alegadas “interferências dos acionistas”, uma levantamento feito pelo Club-K, constatou os seguintes registros de (auto) censura que se conformam com os interesses atribuídos ao antigo chefe das telecomunicações do ex-Presidente José Eduardo dos Santos.

A saber:

1.No dia 22 de Abril, o “Novo Jornal” reportou que por “ordens superiores”, a TV Zimbo afastou a contratação do músico Dog Murras como apresentador do programa “Fala Angola”, da grelha desta TV privada. O “Fala Angola”, é o programa de maior audiência que apresenta fortes criticas sociais. Contudo, fonte próxima ao Media Nova garante ao Club-K  que “o ‘Fala Angola’ volta já dentro de duas semanas”.  


2.No dia 23 de Abril a TV Zimbo passou uma reportagem totalmente parcial em que o jornalista e membro da ERCA, Carlos Raimundo Alberto  difamava o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Junior. Antes da matéria ter ido ao ar, Carlos Alberto teve acesso a dados da edição da peça tendo feito anuncio nas redes sociais sobre detalhes da reportagem que seria exibida contra o líder do maior partido da oposição.


3.No dia 29 de Abril, a TV Zimbo fez sair um comunicado anunciando que o programa “Fala Angola” ficará suspenso, sem no entanto avançar datas de retorno.


4.No dia 2 de Maio, o espaço de comentário “Directo ao ponto” do economista Carlos Rosado de Carvalho foi censurado quando o também o professor universitário se preparava para denunciar que o governo estava a usar USD 1 500 milhões a guarda do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) para pagamentos de salários na função pública. Aos telespectadores a TV Zimbo fez um esclarecimento informando que “problemas técnicos impedem que o espaço com Carlos Rosado de Carvalho vá ao ar”. Rosado por sua vez, escreveu nas redes sociais que “Devido a uma avaria na tela de projeção os gráficos da TV Zimbo não foi possível fazer apresentação sobre o INSS, embora alheio aos sucedido, peço desculpa por eventuais constrangimentos causados pela expectativa criada”.


De acordo com antecedentes, o general “Dino” já havia interferido nos trabalhos jornalísticos da TV Zimbo, em Outubro de 2018, afastando um jornalista Jorge Eurico, por este ter passado uma reportagem sobre o juiz Rui Ferreira que estava a exercer funções de magistrado e tendo ao mesmo tempo a guarda de um escritório de advogados na avenida dos combatentes, em Luanda. Ferreira foi colega de “Dino” quando trabalhou no palácio presidencial como assessor jurídico de JES, e é igualmente citado como tendo passado a ter interesses no Grupo Media Nova.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: