Luanda - O Presidente da Comissão Executiva da TAAG, Rui Carreira, assegurou, neste domingo, que esta operadora está preparada para realizar, de forma exclusiva, os voos de carga e humanitários solicitados pelo Executivo Angolano no quadro da luta contra a covid-19.

Fonte: Angop

Rui Carreira, que falava a jornalistas, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, por ocasião da chegada do voo de repatriamento de bolseiros angolanos na Rússia e da recepção de 35 toneladas de material de biossegurança, disse que a companhia reactivou toda sua estrutura operacional para a China.

“A TAAG conseguiu reactivar toda sua estrutura operacional, e agora está preparada para cumprir a missão de transportar todo equipamento adquirido à China com as suas próprias aeronaves”, salientou, referindo-se ao segundo carregamento de meios provenientes desse.

O responsável explicou que a TAAG deixou de voar para a China há alguns anos, pelo que desativara temporariamente a sua estrutura de apoio a este Estado asiático, para onde viajará agora com alguma frequência para a transportação, sobretudo, de equipamentos de biossegurança.

Segundo Rui Carreira, dada a urgência do Governo na transportação das 380 toneladas de meios de prevenção e combate à covid-19, a partir da China, a TAAG reestruturou-se para atender a esta solicitação e realizar voos, em tempo útil, para aquele país.

“A partir de agora, é a TAAG que vai realizar todos os voos solicitados pelo Governo, que prescinde assim dos préstimos da Ethiopian Airline”, destacou, recordando outros voos humanitários já realizados dentro deste período de Estado de Emergência, mormente para a África do Sul, Portugal e Rússia.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: