Menongue - Cinco dos dez camiões de marca Sinotruk 420 e respectivos atrelados, pertencentes ao Governo Provincial do Cuando Cubango, mas que se encontravam em paradeiro incerto, foram recentemente recuperados pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), anunciou, ontem, o sub-procurador-geral da República na província, José Ecolelo.

Fonte: JA
O magistrado explicou que os dez camiões foram desviados por antigos gestores do Cuando Cubango, que depois de exonerados dos cargos que exerciam, há três ou quatro anos, apoderaram-se dos meios para benefício pessoal, violando o preceituado na lei.

José Ecolelo revelou que os cinco camiões foram recuperados na província de Luanda pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) e já se encontram na cidade de Menongue, para serem entregues ao Governo da província.

Sem avançar mais informações sobre este crime de peculato, ainda em segredo de justiça, José Ecolelo salientou que as viaturas recuperadas fazem parte de um lote de meios que o Executivo entregou ao Governo do Cuando Cubango para apoiar a transportação de mercadorias diversas para o interior da província, com realce para bens alimentares para apoiar as populações mais necessitadas.

Neste momento, disse, o SIC está a desenvolver diligências para a localização de outros camiões em falta, incluindo dezenas de viaturas ligeiras adquiridas pelo Governo do Cuando Cubango e que foram, igualmente, locupletadas por antigos gestores, depois de exonerados dos cargos.

José Ecolelo informou que a Procuradoria-Geral da República (PGR), em colaboração com o SIC, recuperaram, também, na cidade de Menongue, uma bomba de combustível contentorizada adquirida pelo Governo da província e que estava ilegalmente em posse de um ex-dirigente.

Fez saber que a bomba de combustível contentorizada já foi restituída, há três semanas, à esfera patrimonial do Governo da província, para que possa servir os objectivos pelos quais foi adquirida, que era o de abastecer as viaturas dos diferentes gabinetes provinciais, departamentos e secções do executivo do Cuando Cubango.

Segundo José Ecolelo, durante a mudança de um governador para o outro, na província do Cuando Cubango, muitos dirigentes apropriaram-se ilegalmente dos meios que estavam sob sua gestão e que, neste momento, estão a fazer muita falta ao governo local para prestar um melhor serviço às populações.

Acrescentou que a PGR está a trabalhar para que todos os cidadãos implicados em crimes de peculato ou desvio do erário possam devolver os bens roubados e responderem em tribunal.

O sub-procurador-geral da República titular do Cuando Cubango anunciou a existência de muitos casos de crimes de corrupção e peculato de antigos e actuais gestores públicos, que continuam a desviar o erário para proveito pessoal, sobretudo somas avultadas de dinheiro. Realçou que há dois meses no cargo, já recebeu mais de uma dezena de denúncias de crimes de corrupção e peculato.

Reclusos soltos

José Ecolelo anunciou a soltura de 100 reclusos sob termo de identidade e residência, no quadro das medidas de prevenção do novo coronavírus. O magistrado esclareceu que apesar de serem soltos, a Procuradoria-Geral da República continua a trabalhar na instrução preparatória dos processos-crimes em que os arguidos são indiciados, com maior pendor para os crimes de furto e roubo. Logo que terminar o período de emergência, disse, os reclusos nestas condições serão chamados para julgamento.

“Em consequência da pandemia da Covid-19, que está a assolar o mundo, há toda a necessidade de esvaziarmos as cadeias a nível da província, como uma das medidas para se evitar a disseminação da doença”, concluiu.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: