Luanda - Do ponto de vista prático, em nome da boa honra de um povo e de um Estado e do ponto de vista evolutivo, é melhor o Estado de Emergência do que o Estado de Calamidade, pelo seguinte:

Fonte: Club-k.net

1 — Estado de Emergência significa que você perde alguns direitos, os quais passam a tutela do Estado, — e o Estado reconhece que precisa salvaguardar a tua vida e outros bens necessários;

 

2 — Estado de Calamidade — do ponto de vista administrativo, o Estado agi tal e qual como no Estado de Emergência, mas é que, ele aqui reconhece que os Cidadãos que ele governa são tão pobres mas tão pobres mesmo que não podem ficar em casa sem fazer nada, porque podem morrer de fome, daí, a razão de manda—los para rua para trabalharem, em vista a sua sustentação, com ou sem doença.

 

Ora, no Estado de Calamidade volta tudo ao normal, diferente do Estado de Emergência em que o Estado percebe que deve nos proteger, ou seja, no Estado de Calamidade o Estado reconhece que deve nos proteger mas ao mesmo tempo se dá conta que não tem condições de nos manter trancado sob pena de haver outros contornos mais perigosos que a razão do isolamento social.

 

Em suma, graças ao Estado de Calamidade que o Estado Angolano reconheceu pela primeira vez, subjectivamente, que governou mal este país e seus cidadãos, ou seja, os Cidadãos não podem ficar trancados porque ele enquanto Estado não tem condições para sustenta—los do ponto de vista económico nestas condições, então manda—los cada um a sua sorte é o mais sensato. Estado de Emergência é uma questão Político—Jurídica, e o Estado de Calamidade é uma questão Jurídico—Social.

 

= Osvaldo Tchingombe = Sociólogo Independente&comunicador/Analista Político..

"Salúte"

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: