Luanda - O Executivo angolano, no âmbito do reforço do combate à fome e à pobreza, lançará no próximo dia 30 de Maio, no município do Nzeto, província do Zaire, o programa de transferência monetárias às famílias vulneráveis, denominado por Kwenda.


Fonte: Gabinete de imprensa do Grupo técnico

Segundo uma nota de imprensa, assinada por Lopes Paulo, secretário do Presidente da República para os Assuntos Económicos e coordenador do Grupo Técnico para Acompanhamento do referido programa, mais de três milhões de cidadãos que residem nas zonas rurais vão beneficiar, nesta fase inicial, do apoio direto do Estado.


Orçado em 420 milhões de dólares norte-americanos, dos quais 320 milhões financiados pelo Banco Mundial e os restantes canalizados pelo  tesouro nacional, o Kwenda vai para além do município do Nzeto, abranger as localidades de Cambundi Catembo (Malange), Cacula (Huíla), Ombanja (Cunene) e Cuito Cuanavale (Cuando Cubango).


Ainda segundo a nota, o programa que está subdividido em três fases e prevê terminar em 2022, permitirá acompanhar famílias em estado de pobreza extrema, dotando-as de mecanismos para sua autosustentabilidade, passará pela afetação direta de valores monetários imputs agrícolas, bem como educação escolar, financeira, produção e comercialização de produtos do campo.


Para implementação e eficiência do mesmo, o Executivo alinhou o Kwenda ao programa em curso que leva a cabo a regularização jurídica de parcelas de terras de até dois hectares para cada agregado nas zonas rurais, uma parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agrícola (IDA), que visa relançar a agricultura familiar.


O programa prevê também o registo civil, deverá dar enfoque ao reforço da cultura nas localidades, combatendo práticas de mutilação genital e gravidez precoce.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: