Luanda - Há três semanas o meu familiar que está como responsável da minha Casa no Município do Cazenga Bairro; Adriano Moreira ( por de trás da Cuca) ligou-me a dizer que um Jovem com o Nome de Jojó (Ex Cunhado de Monteiro Pinto Kapunga ) a dizer que trabalha como intermediário de casas para o Deputado.

Fonte: Familia 

Alegou dizendo que um Senhor de nome Armando Joveth vai ocupar a casa porque a casa lhe foi ofertada à ele (Monteiro Pinto Kapunga).

 

Algumas horas depois o meu familiar recebe outro telefonema mas já pelo Senhor Armando Joveth dizendo que é o dono da casa e acrescentou que tinha uma dívida com o Deputado Kapunga e que já havia quitado à mesma (dívida) e por essa razão veio recuperar a sua casa.

Dias depois, o mesmo Senhor (Armando Joveth) ligou novamente dizendo já com uma outra versão de que a casa lhe foi ofertada pelo Deputado Kapunga (palavras ditas por ele- Armando Joveth) ou seja, já não era motivo de dívida quitada e sim Oferta e exigiu à casa.

Após estes telefonemas, demos conta (a família) que era mais uma das artimanhas do Deputado Kapunga e que o mesmo (Armando Joveth) está sendo usado pelo Deputado para se fazer passar como Dono.

Passado alguns dias, o meu familiar ligou dizendo que os inquilinos ligaram pra ele a dizer que o Sr Jojó (Ex cunhado de Kapunga) deslocou-se até a casa e chegando disse que veio à mando de (Kapunga) e lá pagou os inquilinos e ainda ameaçou dando-lhes 15 dias para todos abandonarem a casa; alegando que a casa nunca pertenceu à Irmã do Senhor Kapunga e que os documentos que à mesma possui são falsos, concluindo a conversa os inquilinos com medo disseram ao meu familiar que vão abandonar a casa.

No dia 14 do mês (Maio) em curso o suposto dono Armando Joveth deslocou-se até à nossa casa com os seus filhos para receber a casa e não conseguiram.

No dia seguinte (15 de Maio) o Senhor Armando Joveth acompanhado de policiais deslocou-se até à casa para tirar os inquilinos e receber a casa e por sua vez, se surpreendeu com a presença de meus familiares, e foi então que um dos policias disse pra todos irem até a Esquadra do Hoji ya Henda para melhor esclarecimento. Já Na Esquadra (no quintal ainda) um agente do SIC disse que esse tipo de caso não se resolve na esquadra e sim no Tribunal mas pediu que o Senhor Armando Joveth mostra-se os documentos da casa e ainda perguntou porquê que o Senhor Kapunga que diz ter lhe ofertado a casa não se faz presente, e o Armando Joveth responde que o Senhor Kapunga é muito ocupado mas que tem um representante (Jojó)
porque os meus familiares faziam-se acompanhar dos documentos da casa; após isso ele o Agente do SIC mandou os meus familiares irem pra casa. Passado 30 minutos, o Senhor Armando Joveth voltou na casa com três agentes e os mesmos disseram aos meus familiares que tínhamos de voltar pra esquadra. Voltando na esquadra, dirigiram os meus familiares para a sala do procurador e o mesmo disse que não resolve assuntos civis e sim criminais, e acrescentou para ambas partes arranjarem advogados. E antes de abandonarem a sala, um dos agentes diz à um dos meus familiares que um suposto Deputado estava a ligar do Comando do IFA para lhes prenderem, mas o Agente da Polícia disse que não viu crime, e por esta razão na presença do Procurador disse pra seguirem o conselho do mesmo e disse ao Senhor Armando Joveth para não voltar a incomodar os meus familiares porque se vai resolver no Tribunal e o Senhor Armando Joveth responde ao Agente da Polícia dizendo que não vai ao Tribunal e que vai ligar ao Deputado Kapunga. E mandaram os meus familiares regressarem pra casa.

No dia 16 (sábado) um dos meus familiares é notificado pelo Procurador João Manuel Caluege do Comando do IFA para prestar declarações.

No dia 18 (segunda-feira) os meus familiares já acompanhados de um advogado se dirigiram para o Comando do IFA. Chegando lá o Procurador disse que apenas notificou-o porque recebeu ligações do Deputado Kapunga a dizer que alguém estava assaltando a sua casa. Depois de ouvir ambas partes conclui que são problemas familiares.

Na presença de ambas partes o Procurador fez uma pergunta ao meu familiar que foi a seguinte: “O SENHOR KAPUNGA É MESMO UMA PESSOA LÚCIDA E SE REALMENTE GOZA DO SEU JUÍZO PERFEITO? “

O meu familiar apenas respondeu: “NÃO SEI”. E em seguida disse que estamos perante de um caso Civil e aconselhou o Sr. Armando Joveth a recorrer também ao tribunal e na qual não estava apto para resolver essa situação. E mais uma vez o Sr. Armando Joveth sem sucesso perante ao Procurador disse na sala novamente que vai ligar ao Deputado Kapunga e que não vai pra Tribunal algum.

Não tardou pra isso acontecer no dia 19 (terça -feira) o Sr. Armando Joveth desta vez deslocou-se acompanhando pelo Deputado Monteiro Pinto Kapunga até a minha casa e arrombaram as portas e trocaram as fechaduras; ordenando à um dos agentes de nome Nelson Kussecala para ligar pra um dos meus familiares dizendo que é investigador e que está na casa e ameaçou que só sairiam da casa assim que o meu familiar aparecesse.

No dia seguinte (20-quarta-feira) o meu familiar se desloca ao Comando do IFA para abrir uma participação contra o Deputado Kapunga, Armando Joveth, Jojó e Nelson Kussecala (uma vez que recebeu uma chamada do suposto investigador Nelson Kussecala) e em seguida o Procurador Caluege simplesmente respondeu-lhe que não pode abrir uma participação e que tínhamos que recorrer ao Tribunal e o meu familiar questionou sobre o arrombamento e retiradas dos inquilinos da casa praticamente a força. E o procurador respondeu que sobre este CRIME não pode mesmo fazer nada.

Mas para nós Transpareceu que em função dos Ralhetes e gritos que o mesmo tivera recebido por parte do Deputado Monteiro Pinto Kapunga., ficou com medo. porque o mesmo (Procurador) contou ao meu familiar que ontem (dia 19) que o Deputado Kapunga e o Sr. Armando Joveth foram até ao Comando com os 10 policiais afirmando que não sabiam de que zona eram (os meus familiares), e com um tom alto, obrigou o Procurador a ligar pra nós (familiares), mas o mesmo não o fez alegando que não podia fazer até que os ânimos acalmassem e novamente o Deputado Kapunga sem sucesso.

E neste preciso momento o Sr. Armando Joveth está a viver na minha casa com os seus familiares.

Em suma o Deputado Monteiro Pinto Kapunga nem sequer respeitou o Decreto Presidencial que proíbe desalojar qualquer cidadão ou inquilino enquanto durar o Estado de Emergência.

Queremos Que a Justiça seja Feita.

João Leonardo



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: