Luanda - A ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, anunciou hoje que o país aumentou a capacidade de testagem à covid-19 para 400 testes por dia e tem estado a colher amostras nas províncias, negativas até agora.

Fonte: Lusa

Numa conferência de imprensa, a ministra adiantou que os testes estão a ser feitos em vários laboratórios e que o Governo angolano tem estado a fazer "todo o esforço" para adquirir os reagentes e pedido apoio às agências internacionais que "têm também aberto caminho a estas aquisições".


"Temos estado também a fazer diligências junto dos fabricantes, mas não é como ir a um supermercado comprar um eletrodoméstico, é muito mais complexo", sublinhou a governante.

Sílvia Lutucuta indicou ainda que estão a ser feitas testagens aleatórias e "têm estado a chegar amostras das províncias", mas nenhuma delas positiva.

Além disso, estão igualmente a ser feitas testagens em massa nas cercas sanitárias, incluindo a "cerca enorme do Hoji-ya-Henda", com cerca de 3.000 pessoas.

Sobre os casos positivos detetados em Portugal relativos a seis cidadãos provenientes de Angola, três foram excluídos e quanto aos outros três "continuam à procura de informação".

Angola regista atualmente 71 casos positivos, dos quais quatro óbitos, 49 casos ativos e estáveis, e 18 recuperados.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 346 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Em África, há 3.478 mortos confirmados em mais de 116 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.178 casos e sete mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (719 casos e sete mortos), Cabo Verde (390 casos e quatro mortes), São Tomé e Príncipe (299 casos e 12 mortos), Moçambique (209 casos e um morto) e Angola (71 infetados e quatro mortos).

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: