Luanda - Angola registou quatro novas infeções de covid-19, somando um total de 81 casos positivos, dos quais quatro resultaram em óbito e 18 recuperaram, informou hoje o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

Fonte: Lusa

Segundo Franco Mufinda, entre os quatro novos casos positivos, três homens e uma mulher, consta o de um cidadão russo, de 41 anos, funcionário de uma petrolífera, que passou pela Rússia e França, sujeito à quarentena institucional obrigatória em Angola.

 

Os restantes casos, todos do município do Cazenga, são relativos a uma mulher de 22 anos, um homem de 67 anos, e um bebé de um mês.

 

Franco Mufinda disse que dos 59 casos ativos, um deles “carece de uma atenção especial”.

 

Das mais de 10 mil amostras colhidas, 9.123 tiveram resultado negativo e 81 positivas, enquanto as restantes estão em processamento.

 

Em quarentena institucional estão 1.043 pessoas, tendo tido alta nas últimas 24 horas 43 pessoas, sendo suspeitos 454 casos e sob vigilância estão 1.139 pessoas.

 

O país regista atualmente 52 casos de transmissão local.

 

O governante angolano salientou que foi levantado o cordão sanitário do Futungo, onde foram testadas 890 pessoas, mantendo-se a cerca sanitária no Hoji Ya Henda, onde estão a processar pouco mais de 3.000 amostras, ambos na província de Luanda.

 

Em África, há 3.787 mortos confirmados em mais de 129 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia de covid-19 neste continente.

 

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções (1.306 casos e 12 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.256 casos e oito mortos), Cabo Verde (406 casos e quatro mortes), São Tomé e Príncipe (458 casos e 12 mortos), Moçambique (234 casos e dois mortos) e Angola (81 infetados e quatro mortos).

 

O país lusófono mais afetado pela pandemia é o Brasil, com 26.417 mortos e mais de 438 mil contaminados, sendo o segundo do mundo em número de infeções, atrás dos Estados Unidos (1,7 milhões) e à frente da Rússia (cerca de 387 mil).

 

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 360 mil mortos e infetou mais de 5,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

 

Mais de 2,3 milhões de doentes foram considerados curados.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: