Mbanza Kongo - A Polícia Nacional no município de Mbanza Kongo, província do Zaire, deteve, esta segunda-feira, um cidadão acusado de exercer serviço de táxi com uma ambulância do Instituto Nacional de Emergência Médica de Angola (INEMA).

Fonte: Angop
Segundo o Serviço de Investigação Criminal (SIC) em Mbanza Kongo, o cidadão, por sinal motorista desta instituição na região, foi detido depois de ter saído com a viatura com o protesto de a mandar lavar numa das estações da cidade, tendo sido encontrado no troço liga Mbanza Kongo/ comuna de Madimba a fazer táxi, com quatro passageiras a bordo.

Essas passageiras disfarçadas de enfermeiras, acrescenta a fonte, foram encontradas com batas descartáveis disponibilizadas pelo acusado para tentar ludibriar as autoridades policiais estacionadas ao longo da estrada nacional 120, que liga Mbanza Kongo à comuna de Madimba.

À imprensa, o responsável do INEMA na região, Manuel Jorge, confirmou a detenção do seu colega graças a uma denúncia anónima. “Através de uma denúncia, fomos comunicados que havia uma ambulância do INEMA no troço rodoviário Mbanza Kongo/Madimba, quando na verdade só sabíamos que o motorista saiu para mandar lavar a viatura numa das estações da cidade”, explicou a fonte.

O INEMA na província do Zaire está implantado apenas na cidade de Mbanza Kongo onde controla cinco ambulâncias, das quais duas avariadas. A instituição funciona com 12 técnicos entre médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar.

Covid-19: Polícia no Zaire detém duas cidadãs no Luvo

Outrossim, duas cidadãs foram detidas este domingo, na comuna fronteiriça do Luvo, município de Mbanza Kongo, província do Zaire, por violação da cerca sanitária imposta no quadro das medidas de prevenção e combate à covid-19 no país.

A detenção ocorreu à leste da sede comunal do Luvo, durante uma acção de patrulha de efectivos da Polícia de Guarda Fronteira numa zona denominada palmeirinhas.

Segundo a polícia, as acusadas entraram em Angola vindas da vizinha República Democrática do Congo (RDC) utilizando vias ilegais, com o propósito de se instalarem temporariamente na comuna do Luvo, para depois seguirem viagem a Luanda. A comuna fronteiriça do Luvo dista a 60 quilómetros a norte da cidade de Mbanza Kongo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: