Lisboa - Estão a ser  referenciadas como “cínicas”, as relações  entre os generais Antonio José Maria e Manuel Helder “Kopelipa”, Chefe da Inteligência Militar e Chefe da  Casa  Militar da presidência, respectivamente.  O desalento entre ambos é associado a  uma alegada inclusão de Zé Maria numa  corrente que teria assessorado o PR, na determinação da transferência do  General “Kopelipa” para o Governo onde passara a responder pelo pelouro  das  Obras Publicas.


Fonte: Club-k.net
 

Outro apresentado como figura  não  oponente a “corrente” a qual se inclui Zé Maria,  é o General  Leopoldino do Nascimento “Dino”, chefe das comunicações da presidencia e provável futuro substituto de “Kopelipa” na chefia da Casa Militar, conforme estimativas. “Dino” passou a ser visto como homem de  confiança do PR (é dos poucos que tem acesso aos aposentos do chefe; a sua mãe faleceu no ano passado e JES foi ao enterro; é acionista da UNITEL com Isabel dos Santos)

 

De recordar que os  Generais “Kopelipa” e Zé Maria foram aliados de “primeira linha” no derrube que levou ao afastamento do antigo  chefe do Serviço de Inteligência Externa, Fernando Garcia Miala. Em algumas ocasiões, saiam juntos do palácio presidêncial com uma viatura volvo para cumprimento de missões desconhecidas.

Ambos são também  antigos colaboradores directos de JES. O General Zé Maria passou a ter o seu Gabinete no segundo andar do Ministério da Defesa enquanto que o General “Kopelipa” funciona no “futungo”.


As informações a cerca do afastamento do general “Kopelipa” terão entretanto ganhado suporte domingo (27 Dez) ultimo. O mesmo acompanhou o PR na inauguração do novo estádio de futebol em Luanda mas sem ter estado na caravana da frente com JES.  Esteve no grupo de trás ladeado do porta voz presidencial, Aldemiro Conceição. No Passado era Kopelipa que liderava ou que pelo menos fazia parte dos elementos que ladeavam o chefe.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: