Luanda - O Presidente João Lourenço fez «profundas» alterações na liderança do Programa de Fortalecimento da Protecção Social «Kwenda», atribuindo agora a coordenação da Comissão Interministerial à ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, observou o Novo Jornal nos decretos presidenciais números 125/20 (de 4 de Maio) e 175/20 (de 19 de Junho).

Fonte: NJ

"A organização e o funcionamento do Grupo Técnico para o Programa de Fortalecimento da Protecção Social são regulados por instrumento próprio, aprovado pela ministra de Estado para a Área Social", Carolina Cerqueira, decretou João Lourenço.


Até antes do dia 19 de Junho, o projecto «Kwenda» era coordenado pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), Faustina Alves, coadjuvada pelo titular da Administração do Território e Reforma do Estado (MAT), Marcy Lopes. Ambos tinham a obrigação de reportar as acções ao ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior.


Agora, a ministra do MASFAMU une-se ao titular do MAT na condição de coordenadores-adjuntos.


Para além dessa alteração, o Presidente da República incluiu outros oito governantes do Executivo na Comissão Interministerial, no sentido de dar maior «pujança» ao programa, garantem as fontes ligadas ao projecto. Destacam-se, entre eles, a ministra das Finanças, Vera Daves, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, o ministro da Agricultura e Pescas, Francisco de Assis, assim como o ministro da Indústria e Comércio, Víctor Fernandes.


À lista de «novatos» no Programa de Fortalecimento da Protecção Social «Kwenda», juntam-se o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Miguel Homem, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, a ministra da Educação, Luísa Grilo, bem como a secretária para os Assuntos Sociais do Presidente da República, Fátima Viegas, verificou o NJ.


No documento, o PR explica que fez as referidas alterações por haver a necessidade de se melhorarem os mecanismos que facilitam a sua implementação, bem como garantir melhor articulação institucional dos objectivos estratégicos do programa «Kwenda».



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: