Lisboa - A esquerda parlamentar aprovou hoje a proposta de lei do Governo que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas exclui a adopção, diploma que mereceu o voto contra das bancadas do PSD e CDS-PP.

 

Fonte: Publico

A proposta do Governo foi aprovada com os votos favoráveis das bancadas do PS, PCP, BE e do partido ecologista Os Verdes.


As deputadas do Movimento Humanismo e Democracia (independentes mas eleitas nas listas do PS), Maria do Rosário Carneiro e Teresa Venda, foram as únicas parlamentares da bancada do PS que votaram contra a proposta do Governo.


Na bancada do PSD, que teve liberdade de voto, apenas 7 deputados sociais-democratas se abstiveram, com os restantes a rejeitar a proposta.


O CDS-PP também votou contra o diploma do executivo, que foi apresentado pelo próprio primeiro-ministro e secretário-geral socialista, de José Sócrates, no início do debate que se prolongou por mais de três horas.


Na votação estavam presentes 224 dos 230 deputados: 94 do PS, 78 do PSD, 21 do CDS-PP, 16 do BE, 13 do PCP e 2 do PEV.


Por seu lado, os diplomas do BE e do PEV que legalizavam o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo e incluíam a adopção e o projecto do PSD para a criação da união civil registada foram chumbados.


Os diplomas do BE e do PEV tiveram os votos contra do CDS-PP, do PSD e da maioria dos deputados do PS, a quem tinha sido imposta disciplina de voto.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: