Luanda - Cláudio Renato, Funcionário da TPA, é o autor da notícia falsa que alegava que um segurança terá espancado o ex – ministro da agricultura, Marcos Alexandre Nhunga.

* Carlos André
Fonte: Club-k.net

GOVERNADOR PROCESSA AUTOR DE NOTÍCIA FALSA NA INTERNET



Segundo Cláudio Renato, na sua página do facebook, um antigo guarda do actual governador de Cabinda, terá usurpado um prato de refeições do governante e ao reagir, agrediu-o, sem chances de se defender. No rigor do bom jornalismo, este jornal contactou a Assessoria do dirigente que assegurou tratar-se de “conto de fadas” ou “ficção”, pois tal facto nunca aconteceu. Os três seguranças do Governador Marcos Nhunga, desde o tempo que era Ministro da agricultura, estão em Cabinda e sempre a protegerem a entidade máxima da província mais ao norte do país. Ao tomarem conhecimento da falsa notícia, os três agentes da UPIP desmentiram Cláudio Renato em vídeos publicados nas redes sociais. Segundo eles, é impossível isso acontecer, tendo em conta a disciplina do órgão policial.


Fernando António João assegurou que Marcos Nhunga trata os seus colaboradores como se de familiares fossem. "Dificilmente chama os seguranças pelos nomes. A todos chama por “Filho”. O discurso foi repetido por António Katendo, outro segurança. “Espancar o chefe sem ele reagir, só pode ser comédia. Alguém que treina artes marciais permitir isso e na sua casa? Nem inventar mentiras sabem”, acrescentou o segurança mais antigo do Governador, Marcos Nhunga.


O autor da publicação já foi contactado e prometeu revelar a fonte. Tenho em conta a gravidade da situação, a Assessoria do governante decidiu abrir um processo-crime contra Cláudio Renato. A qualquer momento, o profissional da TPA será notificado pela PGR.


Cláudio Renato e seu suposto informante incorrem aos crimes de calúnia, difamação e injúria.


À luz do novo Código Penal, quem injuriar alguém, incorre a uma pena de até seis meses de prisão ou multa de até 60 dias, sendo que a difamação é sancionada com prisão até um ano ou com multa de até 120 dias.


O autor da calúnia poderá ser punido com a pena de prisão de seis (6) meses a dois anos ou com a multa de 60 a 240 dias.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: