Cabinda - Os futebolistas do Togo vão mesmo abandonar Cabinda, onde deveriam disputar os jogos do seu grupo na Taça das Nações Africanas (CAN), depois de o Governo do seu país ter exigido o regresso da selecção.

 

Fonte: Publico

“Tivemos uma reunião entre os jogadores no ontem [sábado] em como somos futebolistas, decidimos que era necessário fazer algo pelo nosso país, jogando para homenagear os que morreram”, disse Emmanuel Adebayor à rádio francesa RMC. “Infelizmente, as autoridades do nosso país tomaram uma decisão diferente. Por isso, vamos fazer as malas e vamos embora”, revelou o “capitão” da selecção.


A mesma informação foi confirmada por Thomas Dossevi, outro futebolista do Togo, no hotel onde a equipa está instalada, em Cabinda. “Somos obrigados a partir. Estamos apenas a espera do avião do presidente togolês. Podemos partir a qualquer momento”, afirmou Dossevi,


O futebolista afirmou ainda que Cabinda não é um território seguro para a realização da CAN2010: “Este não é um bom sítio para jogar e temo pelos outros jogadores que vão ficar”.


As declarações de Dossevi ocorrem após o próprio jogador ter afirmado que a selecção iria disputar a competição, sendo secundado nesta posição pelo seu “capitão” de equipa Emmanuel Adebayor.


Já depois de os jogadores terem mudado de opinião e afirmado que queriam disputar a competição, o Governo togolês insistiu que a selecção tinha de regressar a casa: “Se a equipa ou alguém se apresentar sob a bandeira togolesa, será uma falsa representação”, disse o primeiro ministro do Togo, Gilbert Houngbo, em Lomé, capital do país.


Notícia em actualização



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: