Luanda - Pela segunda vez depois da Paz angola realiza as suas eleições no dia 31 de Agosto de 2012, nessas eleições.

Fonte: Club-k.net

ERAMOS 40 ELEITORES MAS APARECERAM OUTROS 7 MIL FANTASMAS

Dizem que o MPLA as ganhou de novo porque na óptica de muitos era impossível as eleições serem vencidas por um outro partido que não seja o partido que governa. Isso parecia um equívoco, mas a final era uma realidade. Mas ganhou mesmo as eleições de 2012 com todas as lisura? Para muitos colegas que pertecem ao lado dos vencedores dizem sim. Mas para mim embora não seja do partido vencedor também disse naquele dia 31 sim o MPLA ganhou porque ele foi o árbitro e o jogador ao mesmo tempo fez Fraude.

 

Ora vejamos passado 5 anos depois da realização das primeiras eleições após Paz, os vícios das eleições de 2008 continuaram sempre . Porque o Partido do Governo de Angola puxou para si a Responsabilidade de as realizar e através de varias leis aprovadas pela Assembleia maioritariamente do MPLA. Nas Eleições de 2012 quem voltou Fazer o Registo Eleitoral é o MAt(MPLA), e a Casa Militar do presidente da República JES. E como quem as realiza é quem as ganha foi ai que começou tudo. Neste processo do Registo Eleitoral a CNE nunca teve acesso todo processo, porque o nosso papel neste era simplesmente de um olheiros, a nossa acção era limitada por lei 8/5. Iamos no lugar do Registo e nao se questionava nada se o trabalho corria bem ou não ! Simplesmente éramos Observadores, porque era essa tarefa que nos obrigavam. Violando assim o Art: 107 da CA.


Depois do registo e atribuição do cartão eleitoral ao cidadão que o normal seria trabalho da CNE, mas pelo contrário foi feito pela empresa Sinfic com a coordenação do MAT e Casa de Segurança do Presidente JES. Sem MAPIAMENTO feito apertava -se o Cerco, porque os dias estava a ser escasso e a data da realização das eleições estava aproximar. No ar os helicóptero da polícia e da Casa militar circulávamos o território do LONDUIMBALI, como estivéssemos num tempo de tudo ou nada. A reuniões eram constante numa nossa saída de campo de constatação entre os membros para aldeia cinco encontramos 5 sopas na aldeia como é costume nas nossas aldeias quando aparece um carro vem logo ao nosso encontro sem nos identificar-mos depois deu perguntar se onde é que o grupo de Registo tinham identificado assembleia de votos, os mais velhos nos mostraram uma escola sem condições de uma sala coberto de capim. Eu ainda questionei como era a harmonia com outros partidos, os sobas diziam que aquela área é apenas do MPLA não querem mais ninguém por isso LONDUIMBALI no Huambo foi sempre a fonte de intolerância Política e bastião do Mpla e mais, Porque outros Partidos nunca tiveram uma boa expressão na expressão das suas actividades Os que tem vindo saem da aldeia Ukuma la onde eles estão(UNITA). Palavras dos agentes do partido transformados em Soba nas comunidades. No fim recomendaram a nossa caravana para na próxima vez que nós fossemos para lá devíamos levar as bandeiras do partido que esta fazer o registo eleitoral, porque eles não tinham. Assim ficou bem claro que na localidade do cinco (5) os votos só mesmo pelo Mpla. Voltamos para a sede. Encontramos que o presidente acabava de chegar do Huambo, mais uma reunião na mesa um assunto para nós mesmo irmos na terrenos e fazermos o nosso MAPIAMENTO já que o que a SINFIC forneceu não estava correcto dias depois fomos ao terreno palmilhamos todo município em 3 dias. Mas os nosso espanto quando falta 4 meses fomos surpreendidos com um outro MAPIAMENTO que não é nosso mais sim aquele que estava cheio de vícios. com mais Assembleias de votos colocados em locais impróprias, mais eleitores por cada mesa.


Foi assim que se pensou em encontrar uma outra solução e alternativas localmente mas o que fizemos era apenas alterações pontuais de algumas Assembleias que estavam longe das localidades perto de comités dos partidos, igrejas e ate perto dos rios. Com essas alterações a Vila franca que teria uma única Assembleia de votos tínhamos que dividir em duas Assembleia, para aproximar os locais da votação junto a população. Mas o que não conseguimos fazer é alterar o número de votantes cada mesa, e a rectificação dos cadernos eleitorais que vinham com nomes diferentes. Por exemplo na aldeia do Ukuma pertencente ao sector da vila franca, ai o povo nao conseguiu votar na base dos cadernos eleitorais, porque os nomes que faziam parte dos cadernos eleitorais nem eram daquela localidade nem tão pouco do município fomos obrigados fazermos um improviso aldeia Ukuma é uma amostra para servir apenas de um exemplo em função da constatação que tinhas feitos.


No LONDUIMBALI o numero de eleitores era de 47 mil em 2012 assim o dizia o MAPIAMENTO da Sinfic. Mas na lógica seria apenas 40 mil. Os 7 mil eram fantasma. Foi assim que numa bela discussão chegamos a conclusão de que os que tinham elaborado os cadernos eleitorais, nao tiveram em conta a realidade apresentada localmente pela CNE, eles inventaram os dados. Mesmo com esse números falsos as eleições foram realizadas apesar de varias insuficiências e irregularidades encontradas no processo. Chegamos no dia da votação éramos distribuídos para as nossas zonas de trabalho eu como era coordenador adjunto do galanga fomos indicados para irmos a galanga, mas eu neguei diante de todos e do presidente da CNE, ai surgiram varias razões, porque embora eu trabalhava no LONDUIMBALI, tinha feito o meu registo e actualização no Huambo, na escola são Francisco de Assis. Mas como nunca ouve uma lei que nos ajudar a compreender em que lugar onde podemos votar, então eu neguei não ir fiquei na sedo do município, mesmo sem função. E no mal olhar do meu presidente .

Então pensei apanhar um carro até a vila franca. Primeiro fica próximo do município, também para ajudar na locomoção para voltar ao município logo que terminar o escrutínio. Assim a aconteceu. Como essa área era da minha jurisdição, coloquei ai o quartel. Controlando as 7 Assembleias de votos que estavam naquele corredor. Durante a votação, quase no final criei muita amizade mais com mulheres para me ajudarem em informações. Mas outra sorte que me ajudou em ter mais informações é porque na Assembleia principal, o PDA era meu amigo e colega de escola. Ele é que tinha a faca e queijo. Neste meu trabalho, os membros tinha Muito respeito pelo trabalho de um membro da CNE, embora eles naquele momento eram superiores a nós. Quando eram 16h, vinha um carro cheio de senhoras para votarem.

 

No volante que conduzia era o primeiro secretário adjunto do Mpla na Vila franca, o segundo era conduzido pelo director do gabinete do município sede. Na qualidade de enviado da CNE interpelei os senhores, porque notava que eles durante a viagem ja tinham direcionado as mentes das mamas para o voto. Mas depois deu perguntar as mamas o que estava ai dentro da blusa ela com medo tiraram e vimos que eram boletins de voto que eles traziam para ajudar na escolha. O senhor que viam com a senhoras ficou nervoso mas quando viu o meu credencial e a ligação que eu tinha feito para o presidente da CNE sentiu medo foi obrigado abandonar as senhoras só voltou mais tarde! No final do encerramento da assembleia de voto, a secretaria da mesa como queria a minha boleia ao longo do caminho disse me que ela dúvida que esse processo seja mesmo credível. Porque viu alguns colegas que mesmo sem terminarem o processo da votação ja tinham preenchido as suas actas. E ela questionava a eles diziam que foram isso que foram orientados para fazerem. Foi assim que eu anotei a preocupação, mas como o meu trabalho era apenas fiscalizar O processo nao tinha como na sede próprio eu coloquei a situação, mas foi uma cota de água no oceano. O MPLA nao ganha as eleições justamente, porque ele envolve quase todos neste processo em defesa do seu voto e sua governação. Na hora do credenciamento de cidadãos para as mesas de votos, os famosos MAVs aparecem muita agente para ganhar os lugares de presidente das mesas, secretário de meses, e muitos deles são da segurança de estado. Infiltrados e ainda os sem medo do processo fazem lobis, vem com alguns envelopes com Listas ja bem feitos, para entregar ao presidente por sua vez ele colocar os nomes desses senhores ou senhoras nas listas sem passarem pelo crivo da comissão eleitoral ocupando assim os lugares dos concorrentes. Isso tem acontecido em todos pleitos eleitorais.


Terminada a votação, as equipas dos MAVs começam a chegar na sede, e a comissão começa a fazer a recepção das urnas. Mas o meu espanto antes disso tudo a TV angolana ja estava a divulgar os resultados por províncias e município . Eu perguntei ao meu presidente se onde que estão a tirar os resultados, o Presidente banou a penas a cabeça entrou no seu gabinete, comecei a entender que ja estava montada a fraude. Não era possível divulgarem ja os resultados sem nós termos enviado nenhum dado para CPE. Ai se instala a insatisfação ate que muitos de nós começamos abandonar as instalações da CNE. Porque também não estava na comissão de recepção das actas nem das urnas. Mas sem ir distante por uma questão de estratégia, naquele dia foi o culminar de um processo viciado que podia definir o futuro de Angola. No final de tudo mais uma vez o Mpla saiu vencedor com um resultado só é visto nos países sem democracia. Por isso enquanto as tarefas principais do processo eleitoral serem sempre feitos pelo MAT (MPLA) e casa de segurança do presidente JES/MPLA, jamais diremos que as eleições são livres, justa, transparência e Democráticas, porque o MPLA envolve tudo e todos. Os agentes do estado passam de aldeia a aldeia a intimidarem a população.

 

População essa medrosa por causa do passado tenebroso do país. Sobas em varias aldeias são usados como activista do Governo Partido Estado. Por mesquinho 15 mil mês. Trocaram a dignidade para pensar com estômago. Deixaram de ser os moralizadores das comunidades.Enquanto a corrida as eleições for desleal no País que nos viu nascer, 《Angola》, a mudança do regime tarda chegar. É preciso refletirmos para onde vamos como lá chegar. Porque existe um Poder astuto que usa todo mundo até sacrificar vidas Para preservar o Tal Poder tão doce.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: