Lisboa  –  A experiência fez dele um especialista em informação. No Gabinete presidencial tem a tarefa de assessorar o Presidente da Republica a fazer leitura de ocorrência política.  É referenciado como muito educado mas com senso de irritar-se quando há interferência no seu trabalho. (Na visita do PR a China, em Dezembro de 2008, chegou a ralhar indiscretamente um jornalista Gonçalves Inhangica). Uma das qualidades que lhe são atribuídas é a capacidade em  formatar a opinião publica nacional em argumentos devidamente calculados e catalizados  por   satélites na comunicação social cujo domínio tem.


Fonte: Club-k.net


É  na pratica o  Ministro da comunicação sombra. Controla a comunicação social através dos seus pivôs nestes órgãos. A sua antena no Jornal de Angola é o próprio director José Ribeiro. Nas outras redações criou os chamados “reportes presidências”.  De acordo com uma explicação conhecedora do assunto, estes repórteres são   convocados, para se deslocarem ao palácio presidencial por um director do Ministério, José Luis de Matos. Postos no palácio, o Porta Voz da presidência, entra em contacto com eles por via de dois jornalistas, Alves Antonio e Francisco Mendes e em alguns casos com um jornalista da TPA, Gonçalves Inhanjica. As perguntas que os repórteres presidenciais desejam colocar a uma entidade estrangeira como aconteceu com a Hillary Clinton,  são colocadas num papel e depois entregues a Aldemiro da Conceição para aprovação.


 
Aldemiro Conceição que em Dezembro ultimo completou 61 anos de idade,  envolveu-se na política ao tempo do colono.  Em meados da década de 70 foi preso (pena de três anos) pelas autoridades colônias por ligação a uma  célula clandestina do MPLA,  no bairro vila Alice em Luanda.  Após a independência fez parte do primeiro grupo de nacionalista que ingressou na Radio Nacional de Angola (RNA), onde chegou a ser chefe de redação e mais tarde responsável de projectos.


São inexactas as  informações de  como foi parar na Presidência da Republica. A versão que  se propagou no circulo do poder  é a de que teria sido mobilizado após ter ido ao futungo de belas fazer uma entrevista que acabaria por agradar  JES e que mais tarde faria dele seu  assessor  para  Informação. Após  aos acordos de Bicesse, JES teria lhe  dispensado para o governo onde em curto tempo ocupou a  posição de Vice Ministro da informação. Hoje é o alto funcionário  mais antigo da presidência concorrendo com ex director do protocolo de Estado,  José Filipe (Hoje Chefe do Cerimonial da Presidencia)


Como porta voz presidencial teve protagonismo ao tempo do conflito armado. Passou a ter satélites em rádios estrangeiras e em jornais portugueses.   Algumas das suas  posições na media estrangeira eram na óptica dos opositores ao regime vistas como  jogo de desinformação. Na altura  chegou a difundir  a informação de que Alcides Sakala da UNITA tinha morrido durante combates no interior do país. Ficou muito decepcionado quando a Radio Eclesia havia retomado da imprensa estrangeira, uma entrevista do ex SG da UNITA, Lukamba Gato. A “inocência” da emissora católica feria o seu trabalho de desinformação.

 

Tem aceitação no clero católico em Angola, sobretudo na  pessoa do cardeal  Dom Alexandre do Nascimento. É aludido como a figura presidencial que teria amortecido a reivindicação da Igreja Católica sobre o assassinato do jornalista Ricardo de Melo na década de oitenta. (Desde então a Igreja nunca mais questionou o assunto.)


De entre os assessores  presidências é aparentemente a  figura mais estimada pelos filhos de JES. Era a ele a quem Tchizé dos Santos, a certa altura mais escutava quando a jovem vivia  nos Estados Unidos. Ainda hoje quando a jovem empresaria pretende fazer uma comunicação publica é a Aldemiro da Conceição  a quem envia em primeira mão a copia da correspondência.  Esta ligação ou apresso  privilegiado  aos filhos de JES foi ainda verificado quando foi convidado  para  ser o padrinho de casamento de Isabel dos  Santos.


O seu destino esta de facto, marcado   para estar dentro ou  próximo ao circulo   presidencial em Angola. O mesmo tem graus de afinidades com o circulo familiar de Agostinho Neto, em função de uma filha sua cuja mãe é irmã de São Vicente, o esposo de Irene Neto, a primogênita de Agostinho Neto.


Diz-se que por  influencia de JES retomou os estudos. (A maior alegria que alguém pode dar ao PR angolano  é estar formado). Vaz da Conceição  inscreveu-se na Universidade Aberta de Lisboa tendo concluído o curso de  Ciências Políticas. Em 2004, esteve em provas na Universidade  e viu-se  privado de acompanhar o PR que de deslocara em visita aos Estados Unidos.  A cerca de  quatro anos  atrás denotava  decidido para o mestrado do mesmo curso no Instituto Superior de Lisboa.  

 

Tem categoria de Ministro junto a presidência, em razão disto  assiste as secções do Conselho de Ministro. Dirige na Presidência da Republica um “gabinete de analises” com características de inteligência.  No seu Gabinete é tratado por “Senhor Porta Voz”, mas é no seu circulo intimo que é  tratado por  Tininho, um diminutivo que provém de Justino.  (Aldemiro Justino de Aguiar Vaz da Conceição).


É ele quem interina os assessores da presidência na ausência destes ou em caso de exoneração. Já interinou a casa civil e igualmente a assessoria social, na ausência de Justino Fernandes. Uma das figuras do gabinete presidencial de quem muito respeita e priva uma amizade pura é o General Manuel  Helder Vieira Dias “Kopelipa”. Quando recebe expediente de natureza fora da sua alçada é ao General “Kopelipa” a quem encaminha. 


É muito discreto tanto nos negócios como nas amizades. Dos seus negócios conhece-se, uma gráfica Damer (Alguns semanários independentes são ai imprimidos).  Nega o vinculo ao qual se associa o seu nome ao investimento que deu corpo a empresa Media Nova (TV Zimbo, Radio Mais e etc), uma sociedade ao ao qual se inclui o General “Kopelipa” e Isabel dos Santos. Quando um dos seus filhos, Helder Conceição regressou  de Portugal formado, não  foi sentido em Aldemiro algum sinal de encorajamento direcionado para o ramo  empresarial como fazem os membros do regime. O jovem foi inicialmente colocado como funcionário de uma instituição bancaria em Luanda.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: