Lisboa – O consagrado músico angolano Waldemar Bastos faleceu na noite de domingo (9), em Portugal, vítima de cancro, aos 66 anos, segundo confirmaram ao Club-K, fontes  familiares, que entretanto pedem privacidade "nesta hora muito difícil e pedimos a compreensão de todos".


Fonte: Club-k.net

As reações não se fizeram esperar como o fez o deputado angolano  Vicente Pinto de Andrade ao declarar que “o meu querido primo Valdemar bastos foi levado pela Covid-19.

 

Vicente considera o malogrado  músico como “uma grande referência na minha família. um homem íntegro, cuja voz e postura marcaram a história recente do nosso país. repousa em paz, Valdemar”.

 

O seu colega de profissão Bonga citado pela Rádio MFM, confirmou que Bastos andava hospitalizado a tratar-se de um câncro. 


Radicado em Portugal, Waldemar Bastos foi um músico e compositor que viveu durante muitos anos no estrangeiro por alegada perseguição política do regime do MPLA. Em 2015, foi uma das vozes que se levantou protestando contra a prisão e  humilhação de 15 jovens acusados pelo então PGR, general João Maria de Sousa de  um falso  golpe de Estado contra o então PR, José Eduardo dos Santos.


Numa entrevista a DW, em 2018, o músico decidiu desabafar em forma de denúncia contra atos que classificou como atropelos à liberdade artística. Numa nota colocada na sua página no Facebook, lamentava, por exemplo, o facto de muitas vezes lhe fecharem as portas para fazer espetáculos em Angola por não ser militante do partido no poder.


“Foram poucas ou nenhumas as vezes em que me deixaram cantar no meu país”, referiu o músico, natural de Mbanza Congo.

 

Neste mesmo ano, o músico foi distinguido com o Prémio Nacional de Cultura e Artes, a mais importante distinção do Estado angolano nesta área.


Waldemar dos Santos Alonso de Almeida Bastos nasceu em 1954 na cidade de Mbanza Congo, município do Zaire, de onde saiu aos 28 anos de idade com destino a Portugal para escapar à guerra civil.

Família pede privacidade

Com profunda tristeza e dôr, a família informa a todos que conheciam e apreciavam a sua música, que Waldemar Bastos faleceu ontem dia 9 de Agosto de 2020, vítima de doença prolongada.


Ficaremos com eterna saudade, carinho e com o seu amor incondicional à sua família, em especial como Pai e Avô.


Deixa a todos nós e em particular ao povo humilde de Angola o seu legado musical ímpar e de excelência.


Informaremos assim que possível pormenores acerca do seu funeral.


A família pede privacidade nesta hora muito difícil e pedimos a compreensão de todos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: