Lisboa  - Desde os meus tempos de pioneiro, ouvi com orgulho os maais velhos dizerem com orgulho. "MPLA é o povo e o povo é o MPLA". Sobreviveu ás várias querelas internas. No fraccionismo muitos afirmaram ser o fim do M. Contudo graças a esperança do povo e o medo das consequências da intentona o M, sobreviveu.

Fonte: Club-k.net

MPLA, OS MILITANTES E O POVO

Governou em Partido único e pró soviético até os anos 90. Desde 1979 sob liderança sabia de JES o país derrotou os invasores, garantiu a soberania e integridade territorial de Angola. Garantiu ainda a Paz, liberdade e independencia na Africa Austral e nos Grandes lagos.


Em 1992' a máxima MPLA é o povo dêu uma vitória expressiva ao MPLA de JES.


Em 2002, sob liderança de JES termina a guerra e implanta a PAZ e reconciliação entre Angolanos. Obrigado Arquitecto da Paz, que amnistiou áqueles que fizeram a guerra, destruiram o país, mataram, roubaram, violaram. E assim nasceu uma Nova Angola' de Paz, reconciliada, democratica e progressiva.


2008 eleições legislativas, com a máxima MPLA é o povo ganhamos com 80% e implantamos a 3° Republica. Nova Constituição em 2010.


2012 eleições gerais vence o M, com a máxima o MPLA é o povo' mas já aí o POVO começa a desacreditar no M e retira 10% dos seus votos e o M ganha com 70%. Sinais de mudança não levadas a sério pelo M.


A Direcção do.M em vez de governar para o povo, e comprir com as promessas eleitirais' governou para os seus bolsos, fazendo a Direcção do M milionários e o povo a acentuar a sua miséria e pobreza, deixando de acreditar no M, o povo distanciou-se, pois o povo de hoje é esclarecido e jovem.


Em 2017 nas eleições com JLO indicado por JES, veio a sentença anunciada, menos 10% dos votos. M ganha com 60%, é derrotado em várias províncias e Luanda perde com 48% e perde 2 deputados, só Deus sabe porque nao perdeu o 3°deputado. Tudo isso por causa da miséria e fome do povo e a ostentação milionária dos dirigentes do MPLA. Perde-se assim a máxima e o MPLA deixa de ser o POVO. Os sinais foram evidentes, mas a Direcção carregada de surdez, arrogância e vaidade, preocupados com os negócios, abandonou o Partido a sua sorte.


Com 60% e sinais de 50% em 2022 o M continua a si próprio. Longe do POVO e dos MILITANTES. O M perdeu nestes 3 anos 30% dos seus militantes e simpatizantes. Os amigos do M que o apoiavam financeiramente o abandonaram a sua sorte.


Os ditos Marimbondos eram o garante da sobrevivência do M. Hoje de costas viradas, graças ao combate selectivo á corrupção.


O Programa eleitoral do M, tem como bandeira o Combate a Corrupção, contudo hoje estamos perante um cenário de perseguição politica selectiva, vinganças internas, prepotência, arrogância e ordens superiores. A corrupção continua galopante com os mesmos rostos e novos que continuam a ostentação num claro insulto ao POVO. Deixando cada vez mais o povo na miséria e pobreza. Hoje a máxima desapareceu definitivamente O MPLA JÁ NÃO É O POVO E VICE VERSA. E com o agravante de os proprios Militantes, Simpatizantes e Amigos estarem silenciosamente e em massa a abandonar o M. Basta ver que os CAPs do M estão vazios e não se consegue fazer uma Assembleia com 30 militantes. Os CAP de Luanda com melhores lideranças só consegue reunir 20 a 25 militantes os outros 5 a 11 militantes. Eis uma realidade núa e crua.


Mas mesmo com esses SINAIS a Direcção do M continua a mesma. Igual a si mesma.


Hoje o MPLA JÁ NÃO É O POVO E O POVO JÁ NÃO É O MPLA. E com o agravante da divisão interna dos MILITANTES e em função de tudo isso a saida massiva e silenciosa de 43% dos Militantes, Simpatizantes e Amigos e a redução de mais 10% dos votos em 2022. Que atirará o M a uma vitória de 50% ou até mesmo a derrota. ATENÇÃO AOS SINAIS.

By. David Pedro



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: