Lisboa – O  recém nomeado Embaixador de Angola no Reino da Bélgica, Mário de Azevedo Constantino é citado em meios diplomáticos como  tendo ficado  sem a acesso a residencial oficial a que lhe é de direito,  uma vez que está, ainda se encontrava  ocupada pelo seu antecessor Georges Rebelo Pinto Chikoti. No seguimento do alegado  impasse, Mário  Constantino teve de ficar  hospedado num hotel até que a residência fosse  desocupada.

Fonte: Club-k.net

Embaixada nega haver constrangimentos 

Georges Chikoti, deixou de ser embaixador depois de em Dezembro de 2019 ter sido em Nairobi, secretário-geral do grupo África, Caraíbas e Pacífico (ACP), que tem a sua sede em Bruxelas. Contava que a nova função de representante do grupo ACP lhe proporcionasse algumas regalias ao que não terá acontecido, causando-lhe limitações. Luanda, por sua vez, terá objetado um pedido do diplomata para uma solução com característica de “incentivo pecuniário”.


Entretanto, fonte da embaixada de Angola em Bruxelas, desdramatizou o assunto esclarecendo que o novo embaixador já se encontra instalado na residência oficial desde o passado dia  8 de Agosto. 


Mário de Azevedo Constantino chegou, no mês passado,   a Bruxelas via Paris, devido ao encerramento do espaço aéreo belga. No passado dia 11 deste mesmo mês fez entrega das cartas figuradas junto ao ministério dos negócios estrangeiros deste país, aguardando agora pelo passo subsequente que é a entrega da carta de acreditação ao Rei Belga.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: