Luanda - Diz-se que o poder vicia e que os maus hábitos aprendem-se facilmente . Desde ascensão do Presidente João Lourenço ao poder , muitas foram a resformas feitas ao aparelho do estado, apelidando estas ações de “ novo paradigma” . No que toca a este paradigma , nem tudo tem sido novo, tem havido sinais de que em política os velhos costumes que garantam as manobras , devem ser preservados, e que em política afinal vale tudo.

Fonte: Club-k.net

A retórica “ ninguém é suficientemente rico que não possa ser punido e ninguém é pobre demais que não possa ser protegido” tem sido aplicada de forma selectiva , pois há muitos “ricos” que não estão a ser punidos , independentemente do tipo de punição, e a maioria esmagadora que é pobre não têm sido protegidos.

As reformas que o presidente Joao Lourenço tem levado acabo , pecam por não abranger a justiça e outros órgãos do garante da soberania nacional , mas é na justiça onde unanimemente os cidadãos colocam dúvidas a intenção reformista do Presidente da República . Com excepçao da procuradoria geral da república ( PGR) e da Inspecçao Geral da administração do estado(IGAE) com as devidas reticências , os demais órgãos do garante do cumprimento da legalidade , não só têm tido um desempenho lastimável , como são lideradas por personalidades de caracter duvidosas , com certa mancha e ensombradas de más práticas , senão vejamos:

Presidente do tribunal supremo e do conselho superior da majestratura judicial - Sr.Joel Leonardo

Delfim do amplamente protestado ex presidente do tribunal supremo , o Sr Rui Ferreira, o consulado de Joel Leonardo não é senão a continuidade dos actos do seu antecessor, por isto, este reinado tem sido marcado por inúmeras irregularidades , denunciadas paradoxalmente pelos colegas de profissão , como foi o caso da queixa apresentada pelo Juiz Agostinho Santos, e mais recentemente uma queixa apresentada por cidadãos da sociedade civil .


Foi Joel Leonardo que de forma pouco ética e até vergonhosa , ludibriou o Presidente da República para apoderar-se das instalações da provedoria da justiça , um imóvel arquitetado e construído graças ao pragmatismo e aceitação de que gozava o provedor Paulo Tchipilica.

Presidente da comissão nacional eleitoral - Sr Manuel Pereira da Silva “ Manico”

A nomeação de Manico por Joel , e este último pelo Sr . Presidente da República , foi uma das graves aberraçoes da governação de João Lourenço no que a justiça diz respeito ,a julgar pela ficha de Manico na comissão provincial eleitoral e pela retórica do próprio Presidente.

A elevação de Manico de presidente da comissão provincial eleitoral para presidente da comissão nacional eleitoral , foi uma clara prova de preparação de actos eleitorais semelhantes aos de 2017 , onde o país ficou surpreso com a quantidade de água consumida pela Senhora que divulgara os resultados provisórios , num sinal claro de desconforto com os dados de que dispunha.

Manico , é delfim do desavergonhando ex-presidente da comissão nacional eleitoral André da Silva Neto , que em plana conferência de imprensa do anúncio de resultados eleitorais , proferiu em frente das câmaras de televisão de forma infantil a expressão “ isto agora é que vai doer” numa alusão aos dados que divulgara a seguir. Manico , como o nome sugere , é o pião que manietou a máquina eleitoral na cidade de Luanda , acto que lhe deu margens para livremente saquear os recursos deste órgão ao seu belo prazer e deu-lhe o passaporte para que possa executar as mesmas manobras a nível nacional.


A nomeação de Manico , que em países sérios, liderados pessoas comprometidas apenas com país e não com o poder, desvia estar a contas com a justiça por conta dos desmandos praticados durante a gestão da comissão provincial eleitoral de Luanda . Esta nomeação , representa um sinal claro de que alguns podem saquear desde que garantam a execução das manobras eleitorais para governar , independentemente da incapacidade de “resolver os problemas do povo” , como dissera Dr Antônio Agostinho Neto.

Polícia Nacional - Sr comandante Paulo de Almeida

A polícia nacional , a pesar do sacrifício consentido pelos seus efectivos no garante da ordem e tranquilidade publica, este sacrifício tem sido insuficiente para apagar a imagem de instituição mais corrupta do país e os constantes assassinatos praticados por quem devia proteger a população .


Foram os efectivos corruptos de Paulo de Almeida que permitiram que a pandemia do coronavirus se espalhasse pelo país, foram os mesmo efectivos violentos de Paulo de Almeida que assassinaram um cidadão no bairro prenda por não utilizar a máscara facial , e mais recentemente , os mesmos efectivos agressivos , levaram o Médico Dala as celas , também por não utilizar a máscara facial dentro da sua viatura , tendo como desfecho a morte do Dr Dala. São numerosos os actos de aversão a ordem instituída , que tem sido praticados por efectivos da polícia nacional , que com a alguma dignidade, como demonstrado pelo comandante Panda, muitos dos actuais líderes da corporação já teriam colocado os lugares à disposição .


O próprio actual comandante Paulo de Almeida é conhecido pelo açambarcamento de terrenos de pobres camponeses , paradoxalmente por quem os devia proteger .


O Presidente da república e comandante em chefe devia envergonhar-se por ter efectivos que em nada significam o poder delegado.

Tribunal constitucional - Juiz Manuel Aragão

E um juiz respeitado em muitos círculos , tem vindo a exercer funções de revelo no país desde a era do velho JES. Pela idade e tempo de serviço , o velho Aragão devia envergonhar-se por ser utilizado como escudo para inviabilizar cidadãos nacionais de exercerem livremente o seu direito de cidadania . O velho Aragão tem maturidade e idade suficiente para ser um exímio garante da legalidade , na sua idade, já não devia vergar-se ao jogo da barrica , mas sim manter-se firme ao jogo que preserve intactos os pilares da democracia.

A retórica do combate à corrupção e impunidade do presidente João Lourenço tem demonstrado que há excepções, principalmente quando se trata de membros da sua cercania , como foi a notícia dos $17 milhões do seu director de gabinete. De igual modo, todos órgãos de soberania que garantam a manutenção do poder por via da maquinação dos resultados eleitorais ou do impedimento que pra-ja se sirva Angola , serão sempre protegidos como é o caso dos Manicos , os Joels e os Aragãos.

Esta é a vergonha de estar em política , o vale tudo . Cada vez acentua-se a ideia que não é possível que uma organização partidária que luta pelo poder a todo custo, tenha nas suas fileiras politicos éticos que ponham o país à frente . Políticos são sempre políticos , nada do que dizem é para ser levado a sério,tudo não passa de manobras convista a enganar a população .



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: