Luanda - Livros infantis destinados a ajudar a denunciar casos de violação contra os menores, Direito e instituições afins foram entregues, ontem, pela secretária de Estado para Família e Promoção da Mulher à biblioteca despadronizada da pedonal da Robaldina, no Km 12, na zona da Estalagem, em Viana.

Fonte: JA
Biibloteca.jpg - 86,15 kBElsa Bárber valorizou o espaço frequentado diariamente por mais de 500 pessoas e considerou a iniciativa louvável que serve para uma boa terapia à saúde mental. “Queremos parabenizar esta boa acção de jovens que pensam no próximo e que gostam de partilhar o que têm de melhor em matéria de literatura”.

Neste contexto e para melhor enriquecer o acervo, o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher fez a entrega de mais livros de natureza infantil, porque no espaço não havia uma prateleira com literatura para crianças.

A governante solicitou à Administração do Distrito Urbano da Estalagem no sentido de se encontrar um espaço com mais dignidade, visto que, além da leitura grátis, no local, também, são dadas aulas de alfabetização e efectuados jogos de xadrez gratuito, à terça-feira, quinta-feira e sábado.

A secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher lembrou que no passado o espaço era usado como balneário público, mas disse que, por incrível que pareça, o local está a ser bem aproveitado. “Notamos hoje um bem diferente e nem o barulho dos carros e do comboio inibem os leitores de aceder ao local para deleitarem uma boa leitura”.

Elsa Bárber espera que tal iniciativa possa servir de incentivo para muitos jovens dedicarem-se ao máximo nos estudos, por meio de leitura que fazem neste espaço.

O director-geral do Instituto Nacional da Criança (INAC), Paulo Kalesi, disse que o aproveitamento do espaço deu mais vitalidade à comunidade, porque o incentivo à leitura dá às crianças uma nova cultura de pensar e de agir. “O aumento de literatura infantil vai ajudá-los a ter novos horizontes”.

“Numa fase em que estamos atentos aos actos que são tipificados como crime e violência contra a criança, associamo-nos a este espaço, dando livros e incentivando a passar mensagem sobre a protecção da criança e os seus direitos”, precisou.

A administradora adjunta para a área Política e Social do Distrito Urbano da Estalagem, Emília Nenda, garantiu encontrar um espaço com maior dignidade, de modo a retirá-los da ponte pedonal, por ser um local público e sem as mínimas condições, sobretudo devido à falta de balneários, para uso por parte das pessoas que frequentam o local.

“Trata-se de uma iniciativa louvável, mas vamos ficar com a responsabilidade de arranjar um sítio mais digno. Não prometo que seja este ano, porque temos antes de preparar as condições”, precisou.

Arantes Kivuvu e Francisco Mapanda, mentores do projecto, agradeceram a visita da secretária de Estado da Família e Promoção da Mulher e disseram que a biblioteca tem ajudado os jovens da comunidade a ter uma nova mentalidade e encarar a realidade, à medida que vão aprendendo novas coisas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: